Quarta-feira, 8 de maio de 2013, atualizada às 12h

Rose Valverde inaugura a mostra Fábrica de Desenhos no CCBM

Jorge Júnior
Subeditor
mostra

"A necessidade de repensar meu percurso de trabalho em arte e educação foi um dos motivos para propor o projeto", explica a professora de desenho artístico, de quadrinhos e de moda da Secretaria de Educação (SE), Rose Valverde, também representante de artes plásticas no Conselho Municipal de Cultura, que inaugura a mostra Fábrica de Desenhos, nesta quinta-feira 9, e segue até 2 de junho, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), na avenida Getúlio Vargas 200, Centro.

O trabalho é resultado de 11 anos de atuação no Centro de Educação do Menor (CEM) e fruto da produção dos mais de 410 alunos que passaram pelas orientações da artista.

A mostra reúne três painéis com fotos dos alunos e desenhos feitos pelos estudantes durante a aula, e pela própria Rose. "Espero, através dessa mostra, ampliar a valorização do ensino de desenho de observação como um aliado no registro da memória, assim como incentivar a preservação e a valorização de nosso patrimônio artístico e cultural." Segundo a educadora, o projeto está em consonância com pesquisas sobre o ensino e valorização do desenho, que vêm sendo realizadas nacionalmente, conforme ela observou no XXII Congresso Nacional da Federação de Arte educadores do Brasil - SP, em 2012.

Sobre a concepção do trabalho, Rose explica que o fato de ministrar cursos de desenho dentro do espaço da antiga Fábrica Mascarenhas fez com que a referência histórica do local começasse a fazer parte do projeto naturalmente. A alusão incluiu a própria história do Bernardo Mascarenhas e culminou na mostra, apresentada dentro do centro cultural que leva o nome dele.

O primeiro painel é composto por 26 fotografias das aulas de desenho de modelo vivo. Enquanto um dos estudantes posava, a professora fazia um retrato junto com os alunos, ensinando detalhes técnicos e efeitos, como proporção e sombreamento. Os desenhos resultantes dessas aulas foram escaneados, impressos em tecido e também fazem parte do painel. "Através dos anos em que desenvolvi esse trabalho em sala de aula, fui reunindo registros, fotos, desenhos e esboços os quais serão expostos, com o intuito de mostrar os caminhos que temos feito nesses últimos anos", diz.

No segundo painel, uma performance foi preparada a partir de dez desenhos do entorno do CCBM. As figuras foram escaneadas e expostas com espaços vazios em volta. A intervenção utilizará este espaço para trabalhar questões como pichação e vandalismo.

O terceiro painel traz esboços e desenhos utilizados na classe, para exemplificar as técnicas e mostrar a aplicação de determinado efeito de pintura ou desenho. "A parte final é composta de várias obras que foram expostas durante as várias edições da mostra Professor Também faz Arte, sendo que algumas foram feitas especialmente para esse evento."

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.