Quarta-feira, 8 de junho de 2011, atualizada às 17h38

Servidores da UFJF deflagram greve por tempo indeterminado

Aline Furtado
Repórter
RU

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) deflagraram greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira, 9 de junho. A decisão foi tomada durante assembleia da categoria, que reuniu 200 servidores nesta quarta-feira, dia 8.

Com a paralisação, serão interrompidos serviços como o atendimento nos restaurantes universitários (RU's); o sistema de transporte, que auxilia no deslocamento de bolsistas até o campus e de alunos até os RU's; além do atendimento na Biblioteca Central e nos laboratórios de alguns departamentos da instituição. Nas duas unidades do Hospital Universitário (HU), as atividades vão sofrer redução gradual até chegar aos 30% de funcionamento, o mínimo exigido para serviços essenciais.

De acordo com o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFJF (Sintufejuf), Paulo Dimas de Castro, a expectativa é de que a adesão fique entre 70% e 75%.  As reivindicações dos técnico-administrativos englobam a revisão da data-base, a abertura de concurso público, além do reposicionamento dos aposentados no quadro de conquistas, os quais foram prejudicados com o enquadramento. "Estamos há dez anos sem reajuste." Na próxima sexta-feira, dia 10, os servidores voltam a se reunir em assembleia, a fim de avaliar os rumos do movimento. O encontro será realizado no RU Centro.

UFV em greve

Os servidores da Universidade Federal de Viçosa (UFV) também se reuniram em assembleia nesta quarta-feira, 8, quando a Associação dos Servidores Administrativos da UFV aprovou o movimento grevista, que tem início nesta quinta-feira, dia 9. Entretanto, o Sindicato dos Servidores da UFV (Sinsuv) ainda não votou a adesão. "Estamos aguardando porque acreditamos que ainda não existe informação suficiente para deflagrar o movimento. Esperamos algum posicionamento vindo de Brasília", afirma o vice-presidente do Sinsuv, Wilson Lourenço.

Ainda assim, Lourenço acredita que a adesão fique entre 50% e 60% dos servidores da instituição. Durante o movimento, deverão ser mantidos apenas os serviços considerados essenciais, como a vigilância e o tratamento de animais." A previsão é de que o sindicato promova uma assembleia até o final desta semana, a fim de definir se adere ou não à greve." A categoria luta pela não extinção e pela não utilização dos terceirizados pela UFV.

UFSJ realiza assembleia nesta quinta

O Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) agendou assembleia para a tarde desta quinta-feira, dia 9, quando decidirão se a greve será ou não deflagrada.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.