Terça-feira, 22 de maio de 2012, atualizada às 19h05

Fechamento de turmas em escola estadual motiva protesto no Borboleta

Thiago Stephan
Repórter
sala de aula

Cerca de 300 alunos, funcionários e pais que têm filhos estudando na Escola Estadual São Vicente de Paula, no bairro Borboleta, realizaram manifestação na manhã desta terça-feira, 22 de maio. Com faixas e cartazes confeccionados pelos próprios estudantes, eles percorreram as ruas do bairro, pedindo que turmas do colégio não sejam fechadas.

Para o coordenador em Juiz de Fora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), Eleandro Ferreira, o fechamento de uma turma de 6º ano, uma de 7º ano e outra do 2º ano do Ensino Médio é fruto de cortes de gastos do funcionalismo. "Eles estão pegando salas menores, com 25 alunos, e fazem uma única sala, onde ficam muitos alunos. É uma dificuldade para os estudantes aprenderem e para os professores ensinarem", revela Ferreira, destacando que professores, funcionários e estudantes não querem aceitar esta situação. Ele destacou ainda que a Resolução 2.018, que tem respaldado as ações da Secretaria de Estado de Educação, fere legislação estadual que determina em 35 o número máximo de estudantes por sala de aula.

A possibilidade de junção de turmas preocupou os responsáveis pelos estudantes. Caso de Maria Aparecida Brandi, que tem um filho estudante no 6º ano e participou da manifestação. "Chegou ao nosso conhecimento que turmas seriam fechadas. Uma das salas seria justamente do 6º ano. Estou preocupada se o meu filho não vai perder qualidade de ensino com a sala tão cheia", diz.

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Educação, o fechamento de uma turma do 6º ano, uma do 7º ano e outra do 2º ano do Ensino Médio é fruto de uma reorganização realizada pela Superintendência Regional de Ensino (SRE) e foi baseada na infrequência dos estudantes, o que levou ao fechamento das referidas turmas. No entanto, por empenho da diretoria da escola, os alunos teriam voltado a ser frequentes. Essa seria a razão pela qual a reorganização das turmas pode não estar atendendo aos alunos. A superintendência informa que irá enviar uma equipe de inspeção à escola, a fim de reavaliar a necessidade de uma nova organização das turmas, nesta sexta-feira, 25. Até a próxima segunda-feira, 28, os pais serão avisados da situação a ser definida.

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.