• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Sexta-feira, 20 de junho de 2014, atualizada às 08h40

    Termina a greve dos professores municipais em Juiz de Fora

    Greve

    O Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro) aprovou, na última quarta-feira, 18 de junho, a proposta de índice único de 6,5% para reajuste salarial adotado pela Prefeitura. O acordo põe fim a greve iniciada no dia 21 de maio, e que já durava 29 dias. Ficou estabelecido que a reposição das aulas deverá respeitar 200 dias letivos e 800 horas, ou seja, para cada dia parado deverá haver um dia reposto. As escolas retomam as aulas nesta sexta-feira, 20.

    O reajuste proposto foi de 6,5% para todos os servidores, a partir de maio, além de 6,42% correspondentes aos meses de janeiro a abril, que serão pagos em parcela única em agosto, em cumprimento à Lei do Piso. O documento contendo as respostas em relação aos itens apontados como pontos de estrangulamento levantados pelo sindicato havia sido enviado na tarde desta quarta, após a 12ª reunião com representantes do sindicato, sendo aprovado pelo magistério durante assembleia da categoria.

    Negociação será mantida até setembro

    Na proposta, o Executivo reforçou que será mantida a negociação com o Sinpro, para apresentação, até setembro, do resultado do estudo da reivindicação do sindicato sobre a redução da jornada de trabalho de secretário escolar, que, caso aprovada, será implantada a partir de janeiro de 2015.

    Após novos estudos realizados pelas secretarias de Administração e Recursos Humanos (SARH) e da Fazenda (SF), a PJF apresentou as propostas de reajustes da Ajuda de Custo para Valorização do Magistério (ACVM) para R$ 800 (14,38% de aumento) e do Adicional de Formação para professores contratados (PR-A) para R$ 200 (100% de aumento), sendo que este último não teve reajuste desde 2011, quando fora fixado em R$ 100. Além disso, a PJF reforçou os valores do Adicional Anual de Incentivo ao Magistério, de R$ 240 para servidores ativos e R$ 110 para inativos, em razão deste adicional ter sofrido reajuste em 2013, em índices superiores à inflação apurada no período.

    A PJF também ressaltou pontos referentes à apresentação de proposta em agosto deste ano, para ampliação do contrato de trabalho dos professores até 31 de dezembro, e realizar estudos sobre a Lei n° 11.958/2011, em relação ao cumprimento de atividade extraclasse e sobre o pagamento da gratificação na extensão de jornada, enquanto exercer a função de diretor e vice-diretor, até outubro.

    Sindicato orienta sobre a reposição das aulas

    Em nota publicada no site, o Sinpro orienta aos professores quanto à reposição das aulas. Segundo o sindicato, deverão ser utilizados todos os sábados não letivos; emendas de feriado; sábados de reunião pedagógica (utilizar o contra turno) e o recesso de dezembro. Os secretários escolares podem também utilizar seu recesso específico.

    Os sindicalistas consideram ainda que apesar do reajuste de 8,32% não ter sido alcançado, "a categoria considerou os avanços citados e o reconhecimento dos secretários escolares, os quais a prefeitura tentou excluir desde a campanha de 2013. A coragem e a determinação da categoria na greve foi fundamental para obter tais conquistas e assim continuaremos na luta até que os reajustes indicados pela Lei do Piso sejam cumpridos", diz a nota.

    Com informações da Prefeitura de Juiz de Fora

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.