Juiz de Fora - MG

Agilidade na transmissão e totalização dos votos Nas eleições municipais de 2008, a novidade é que cada Zona Eleitoral de JF fará a transmissão dos dados ao TRE-MG, o que deve agilizar o resultado



Sílvia Zoche
Subeditora
29/09/2008

Faltam poucos dias para o primeiro turno das eleições municipais. Mas, a preparação dos cartórios eleitorais já começou há cerca de um ano, preparando as pessoas que vão trabalhar no dia 05 e 26 de outubro, caso haja segundo turno, recebendo filiação de partido, verificando domicílio eleitorais e vários outros procedimentos necessários.

Para este ano, a novidade em Juiz de Fora, é que cada Zona Eleitoral, além de receber o disquete referente às seções de suas urnas eletrônicas, vai ser responsável por transmitir estes dados ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), que fica em Belo Horizonte.

Em 2004, as Zonas Eleitorais recebiam os disquetes de suas respectivas Seções e entregavam para a Zona 152, o Foro Eleitoral na época, que transmitia todos as informações contidas nos disquetes. Para o chefe de cartório eleitoral da Zona 152, Gilter André da Silva isso deve gerar um ganho. "Antes, uma era responsável por transmitir os dados de todas. Agora, todas transmitem simultaneamente, o que deve agilizar o processo", comenta.

O chefe do cartório do Foro Eleitoral (154ª Zona Eleitoral), André Luiz Faria Carvalho, acredita que se não houver imprevistos, como problemas com urnas eletrônicas, a cidade já deve ter o resultado final do 1º turno por volta das 21h. "A partir das 17h, as Zonas Eleitorais estão aptas a receber os Boletins de Urnas. Caso dê tudo certo, sem os imprevistos, que são naturais de acontecerem, o resultado sai por volta das 21h", diz.

Por isso, a diretora do Foro Eleitoral, Maria Lúcia Cabral Caruso, diz que não há como ter uma previsão exata do resultado, "devido aos problemas que naturalmente possam ocorrer e são esperados", explica. E completa: "Mas eu acredito que até por volta das 22h Juiz de Fora já conheça o resultado".

O imprevisto citado, considerado natural em uma eleição, são os problemas com urnas eletrônicas - não à toa, a Justiça Eleitoral disponibiliza urnas de reserva. Até o dia 11 de setembro, por exemplo, 42 urnas apresentaram defeitos em Juiz de Fora. Neste caso há uma Junta Eleitoral para julgar como será feita a distribuição e a computação de dados da urna com problemas para a urna reserva.

Passos até o resultado

A geração das mídias com os dados oficiais de eleitorado e candidatos foi realizada no dia 21 de setembro. No dia 24 de setembro, as urnas foram abastecidas com estes dados no 27º Batalhão de Polícia Militar em Juiz de Fora. "Nesse mesmo dia, elas são lacradas", diz Brito.

Foto de uma urna eletrônica onde está escrito Fim E também, nesta data, cada zona eleitoral força a votação de 2% das urnas, cerca de três urnas por Zona Eleitoral, para saber se está tudo certo. "Acaba a votação, é dada uma nova carga para zerar as urnas". Brito enfatiza que todos estes processos são publicados em editais e que as portas estão abertas para a verificação da população.

Outra data importante antes do 1º turno das eleições é o dia 1º de outubro, quarta-feira, também no 27º Batalhão de Polícia Militar em Juiz de Fora. O TSE pede para que os relógios das urnas sejam verificados. "A tolerância de diferença é de dez minutos. Tudo pela lisura", afirma Brito.

Na véspera das eleições, dia 04 de outubro, as urnas serão entregues em suas respectivas seções eleitorais. Cada local terá um policial militar pernoitando. "Mas vão ser 80% dos locais que vão receber as urnas, porque falta policial para tomar conta e ter 100% das urnas em todas as seções na véspera".

Um pedido importante feito pelo Foro Eleitoral foi a não expedição de alvarás pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) para shows como JF Folia e raves nas vésperas das eleições. "Para evitarmos problemas, como já aconteceu, de presidente de Seção, por exemplo, ter que ser buscado em casa porque perdeu a hora. Só queremos que estas festas aconteçam em outros dias e não impedir que aconteçam", explica.

Foto de uma urna eletrônica onde está escrito Fim No dia da votação, ainda haverá urnas para serem entregues. "Elas saem bem cedo e têm que estar no local até às 07h para o presidente da Seção fazer a zerésima". A zerésima é uma lista com todos os candidatos com o objetivo de mostrar que não há nenhum voto naquela urna.

A partir das 08h, começa a votação dos eleitores até às 17h. "As pessoas que não votaram até às 17h, mas já estão na fila antes do horário de terminar a votação, recebem uma senha para votar". Fim da votação. O próximo passo do presidente da Seção, antes de desligar a urna, é imprimir o Boletim de Urna (BU). "São cinco vias. Uma é afixada na porta da Seção. Outra para o comitê interpartidário e três para a Junta Apuradora", diz Brito.

Em seguida, os presidentes de cada Seção precisam levar a sua respectiva Zona Eleitoral o disquete da urna, o BU, a Ata e o caderno de votação. Com estes disquetes em mãos, as Zonas Eleitorais transmitem as informações para o TRE em BH, que retransmite para o TSE. A transmissão destes dados feita pelas Zonas Eleitorais devem seguir um intervalo de 20 a 30 minutos. É uma forma de se evitar o congestionamento. "Quem quiser tranmitir em um intervalo menor, não consegue, porque o sistema não permite", diz Silva, chefe de cartório eleitoral da Zona 152.

A totalização destes votos voltam para o TRE em BH e depois para Juiz de Fora, no Foro Eleitoral, que está na 154ª Zona Eleitoral. Para não esperar a chegada destes dados em Juiz de Fora e divulgar as parciais e o resultado final simultaneamente com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Foro Eleitoral em JF, estará conectado direto ao TSE com um telão no saguão da Justiça Eleitoral (Rua São Sebastião, 776) para quem quiser acompanhar pelo telão.

Por isso, a Rua São Sebastião entre a Avenida Rio Branco e a Rua Santo Antônio deverá ser fechada pela Gettran a pedido da Justiça Eleitoral durante todo o dia 05 de outubro.

Assim que estiverem com a Ata Geral, depois da totalização dos votos (coeficiente partidário e coeficiente eleitoral) é publicada a Ata final na Justiça Eleitoral e a cidade fica sabendo quais os vereadores foram eleitos. E também quem é o seu novo prefeito caso um dos candidatos tenha 50% mais 01 (um) dos votos válidos ou quais os dois candidatos vão para o segundo turno no dia 26 de outubro.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.