Lucas Soares Lucas Soares 7/04/2014

Já virou seriado... E começou a segunda temporada!

A polêmica novela envolvendo o desfecho do Brasileirão 2013 evoluiu. Se antes era uma novela, certamente temos agora um seriado para decidir o fim do campeonato. Para nos manter ligados no noticiário, a segunda temporada começou na semana passada.

A Portuguesa entrou na justiça comum. Quase que simultaneamente, conseguiu uma liminar que lhe garante na primeira divisão. A decisão devolve os quatro pontos perdidos, recolocando a Lusa na elite e rebaixando o Flamengo, que também acabou punido em 2013. O Rubro-Negro, no entanto, recorreu à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça. Ambos os casos ainda não têm datas para serem julgados.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por outro lado, está segura quanto as medidas a serem tomadas e garante que todas as liminares serão cassadas e que o campeonato irá começar no próximo dia 19. Caso o Brasileirão comece sem a Portuguesa, a multa diária imposta pela justiça é de R$ 500 mil.

Campeonato em risco?

Essas medidas jurídicas de lá e cá colocam em risco a realização do torneio. É altamente improvável a CBF bancar essa multa e, caso não consiga cassar a liminar a tempo, não teremos Brasileirão enquanto as partes envolvidas não resolverem. É altamente improvável, também, a CBF mudar de opinião e manter a Portuguesa na Série A, seja rebaixando o Flamengo no tapetão ou o Fluminense, que caiu em campo.

Há ainda a possibilidade, embora remota, da justiça brasileira determinar a paralisação do torneio enquanto não houver um veredito. Essa hipótese já foi levantada por juristas e especialistas em direito esportivo, visto o caos e a multa que isso pode gerar caso à Lusa seja punida. O campeonato com 21 clubes está, inicialmente, descartado. O Estatuto do Torcedor proíbe.

Punições da Fifa

Acionar a justiça comum é ato condenável na Fifa. A entidade que comanda o futebol pode desfiliar a Portuguesa ou mesmo a própria CBF do quadro de federações. Uma medida drástica como a que envolve a CBF é altamente improvável, principalmente porque isso geraria a exclusão do Brasil na Copa do Mundo que será disputada aqui. Já uma punição a Portuguesa aparece como opção, principalmente devido à pressão da CBF, altamente interessada em "dar exemplo" à outros times.

O departamento jurídico da Portuguesa não crê nessa hipótese. Acredita que as leis do Brasil devem ser soberanas em relação às regras de uma empresa privada. - caso da Fifa, e que tem segurança jurídica para lutar pelo que julga ser seu direito.

Nos resta aguardar os próximos capítulos.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 7/04/2014

Já virou seriado... E começou a segunda temporada!

A polêmica novela envolvendo o desfecho do Brasileirão 2013 evoluiu. Se antes era uma novela, certamente temos agora um seriado para decidir o fim do campeonato. Para nos manter ligados no noticiário, a segunda temporada começou na semana passada.

A Portuguesa entrou na justiça comum. Quase que simultaneamente, conseguiu uma liminar que lhe garante na primeira divisão. A decisão devolve os quatro pontos perdidos, recolocando a Lusa na elite e rebaixando o Flamengo, que também acabou punido em 2013. O Rubro-Negro, no entanto, recorreu à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça. Ambos os casos ainda não têm datas para serem julgados.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por outro lado, está segura quanto as medidas a serem tomadas e garante que todas as liminares serão cassadas e que o campeonato irá começar no próximo dia 19. Caso o Brasileirão comece sem a Portuguesa, a multa diária imposta pela justiça é de R$ 500 mil.

Campeonato em risco?

Essas medidas jurídicas de lá e cá colocam em risco a realização do torneio. É altamente improvável a CBF bancar essa multa e, caso não consiga cassar a liminar a tempo, não teremos Brasileirão enquanto as partes envolvidas não resolverem. É altamente improvável, também, a CBF mudar de opinião e manter a Portuguesa na Série A, seja rebaixando o Flamengo no tapetão ou o Fluminense, que caiu em campo.

Há ainda a possibilidade, embora remota, da justiça brasileira determinar a paralisação do torneio enquanto não houver um veredito. Essa hipótese já foi levantada por juristas e especialistas em direito esportivo, visto o caos e a multa que isso pode gerar caso à Lusa seja punida. O campeonato com 21 clubes está, inicialmente, descartado. O Estatuto do Torcedor proíbe.

Punições da Fifa

Acionar a justiça comum é ato condenável na Fifa. A entidade que comanda o futebol pode desfiliar a Portuguesa ou mesmo a própria CBF do quadro de federações. Uma medida drástica como a que envolve a CBF é altamente improvável, principalmente porque isso geraria a exclusão do Brasil na Copa do Mundo que será disputada aqui. Já uma punição a Portuguesa aparece como opção, principalmente devido à pressão da CBF, altamente interessada em "dar exemplo" à outros times.

O departamento jurídico da Portuguesa não crê nessa hipótese. Acredita que as leis do Brasil devem ser soberanas em relação às regras de uma empresa privada. - caso da Fifa, e que tem segurança jurídica para lutar pelo que julga ser seu direito.

Nos resta aguardar os próximos capítulos.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 7/04/2014

Já virou seriado... E começou a segunda temporada!

A polêmica novela envolvendo o desfecho do Brasileirão 2013 evoluiu. Se antes era uma novela, certamente temos agora um seriado para decidir o fim do campeonato. Para nos manter ligados no noticiário, a segunda temporada começou na semana passada.

A Portuguesa entrou na justiça comum. Quase que simultaneamente, conseguiu uma liminar que lhe garante na primeira divisão. A decisão devolve os quatro pontos perdidos, recolocando a Lusa na elite e rebaixando o Flamengo, que também acabou punido em 2013. O Rubro-Negro, no entanto, recorreu à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça. Ambos os casos ainda não têm datas para serem julgados.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por outro lado, está segura quanto as medidas a serem tomadas e garante que todas as liminares serão cassadas e que o campeonato irá começar no próximo dia 19. Caso o Brasileirão comece sem a Portuguesa, a multa diária imposta pela justiça é de R$ 500 mil.

Campeonato em risco?

Essas medidas jurídicas de lá e cá colocam em risco a realização do torneio. É altamente improvável a CBF bancar essa multa e, caso não consiga cassar a liminar a tempo, não teremos Brasileirão enquanto as partes envolvidas não resolverem. É altamente improvável, também, a CBF mudar de opinião e manter a Portuguesa na Série A, seja rebaixando o Flamengo no tapetão ou o Fluminense, que caiu em campo.

Há ainda a possibilidade, embora remota, da justiça brasileira determinar a paralisação do torneio enquanto não houver um veredito. Essa hipótese já foi levantada por juristas e especialistas em direito esportivo, visto o caos e a multa que isso pode gerar caso à Lusa seja punida. O campeonato com 21 clubes está, inicialmente, descartado. O Estatuto do Torcedor proíbe.

Punições da Fifa

Acionar a justiça comum é ato condenável na Fifa. A entidade que comanda o futebol pode desfiliar a Portuguesa ou mesmo a própria CBF do quadro de federações. Uma medida drástica como a que envolve a CBF é altamente improvável, principalmente porque isso geraria a exclusão do Brasil na Copa do Mundo que será disputada aqui. Já uma punição a Portuguesa aparece como opção, principalmente devido à pressão da CBF, altamente interessada em "dar exemplo" à outros times.

O departamento jurídico da Portuguesa não crê nessa hipótese. Acredita que as leis do Brasil devem ser soberanas em relação às regras de uma empresa privada. - caso da Fifa, e que tem segurança jurídica para lutar pelo que julga ser seu direito.

Nos resta aguardar os próximos capítulos.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.