Lucas Soares Lucas Soares 26/05/2014

E a Copa do Mundo, CR7?

Cristiano Ronaldo, 28 anos, já ganhou quase tudo o que pode na carreira. Campeonatos e copas nacionais, duas vezes melhor jogador do mundo - inclusive sendo o atual, duas Champions League, diversos prêmios individuais, artilharias e um monte de coisas que todo atacante sonha em conseguir. Falta uma coisa em sua imensa coleção: a Copa do Mundo.

A idolatria pelo craque é imensa pelo mundo todo. Talvez seja o jogador mais midiático do planeta, se aproximando do agora aposentado David Beckham, em termos de publicidade e salário. O futebol apresentado, que credencia sua equipe à qualquer título pela sua capacidade individual, foi premiada. CR7 brilha em um ano de Copa do Mundo, em que seus principais concorrentes enfrentaram lesões - Messi e Neymar, e passa por cima dos adversários, um por um, com um estilo de jogo objetivo e ofensivo, sempre aparecendo nos momentos em que mais precisou-se dele.

Foi assim no último sábado, 24 de maio, quando o Real Madrid superou todas as adversidades e venceu o Atlético de Madrid na finalíssima da Champions por 4 a 1, na prorrogação, após ter empatado a partida em 1 a 1 no último lance do tempo regulamentar. No tempo extra, a estrela de CR7 brilhou mais forte, o Real marcou três vezes - sendo a último marcado pelo português, de pênalti, e chegou ao décimo título da competição, se isolando ainda mais como clube mais vezes vencedor. Foi o segundo título do torneio para Ronaldo.

Também foi assim quando Portugal caiu na repescagem da Copa do Mundo e CR7 anotou três na conta da Suécia de Ibrahimovic, eliminando o adversário e garantindo seu país no Brasil. Agora, não me resta dúvida que Cristiano virá com tudo para a disputa do Mundial. Mesmo que a equipe portuguesa não seja uma das favoritas ao título, a aposta é toda no atacante do Real Madrid. Sua qualidade individual pode fazer a diferença e mudar o rumo das partidas. Fica a minha pergunta: e a Copa do Mundo, CR7?


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 26/05/2014

E a Copa do Mundo, CR7?

Cristiano Ronaldo, 28 anos, já ganhou quase tudo o que pode na carreira. Campeonatos e copas nacionais, duas vezes melhor jogador do mundo - inclusive sendo o atual, duas Champions League, diversos prêmios individuais, artilharias e um monte de coisas que todo atacante sonha em conseguir. Falta uma coisa em sua imensa coleção: a Copa do Mundo.

A idolatria pelo craque é imensa pelo mundo todo. Talvez seja o jogador mais midiático do planeta, se aproximando do agora aposentado David Beckham, em termos de publicidade e salário. O futebol apresentado, que credencia sua equipe à qualquer título pela sua capacidade individual, foi premiada. CR7 brilha em um ano de Copa do Mundo, em que seus principais concorrentes enfrentaram lesões - Messi e Neymar, e passa por cima dos adversários, um por um, com um estilo de jogo objetivo e ofensivo, sempre aparecendo nos momentos em que mais precisou-se dele.

Foi assim no último sábado, 24 de maio, quando o Real Madrid superou todas as adversidades e venceu o Atlético de Madrid na finalíssima da Champions por 4 a 1, na prorrogação, após ter empatado a partida em 1 a 1 no último lance do tempo regulamentar. No tempo extra, a estrela de CR7 brilhou mais forte, o Real marcou três vezes - sendo a último marcado pelo português, de pênalti, e chegou ao décimo título da competição, se isolando ainda mais como clube mais vezes vencedor. Foi o segundo título do torneio para Ronaldo.

Também foi assim quando Portugal caiu na repescagem da Copa do Mundo e CR7 anotou três na conta da Suécia de Ibrahimovic, eliminando o adversário e garantindo seu país no Brasil. Agora, não me resta dúvida que Cristiano virá com tudo para a disputa do Mundial. Mesmo que a equipe portuguesa não seja uma das favoritas ao título, a aposta é toda no atacante do Real Madrid. Sua qualidade individual pode fazer a diferença e mudar o rumo das partidas. Fica a minha pergunta: e a Copa do Mundo, CR7?


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 26/05/2014

E a Copa do Mundo, CR7?

Cristiano Ronaldo, 28 anos, já ganhou quase tudo o que pode na carreira. Campeonatos e copas nacionais, duas vezes melhor jogador do mundo - inclusive sendo o atual, duas Champions League, diversos prêmios individuais, artilharias e um monte de coisas que todo atacante sonha em conseguir. Falta uma coisa em sua imensa coleção: a Copa do Mundo.

A idolatria pelo craque é imensa pelo mundo todo. Talvez seja o jogador mais midiático do planeta, se aproximando do agora aposentado David Beckham, em termos de publicidade e salário. O futebol apresentado, que credencia sua equipe à qualquer título pela sua capacidade individual, foi premiada. CR7 brilha em um ano de Copa do Mundo, em que seus principais concorrentes enfrentaram lesões - Messi e Neymar, e passa por cima dos adversários, um por um, com um estilo de jogo objetivo e ofensivo, sempre aparecendo nos momentos em que mais precisou-se dele.

Foi assim no último sábado, 24 de maio, quando o Real Madrid superou todas as adversidades e venceu o Atlético de Madrid na finalíssima da Champions por 4 a 1, na prorrogação, após ter empatado a partida em 1 a 1 no último lance do tempo regulamentar. No tempo extra, a estrela de CR7 brilhou mais forte, o Real marcou três vezes - sendo a último marcado pelo português, de pênalti, e chegou ao décimo título da competição, se isolando ainda mais como clube mais vezes vencedor. Foi o segundo título do torneio para Ronaldo.

Também foi assim quando Portugal caiu na repescagem da Copa do Mundo e CR7 anotou três na conta da Suécia de Ibrahimovic, eliminando o adversário e garantindo seu país no Brasil. Agora, não me resta dúvida que Cristiano virá com tudo para a disputa do Mundial. Mesmo que a equipe portuguesa não seja uma das favoritas ao título, a aposta é toda no atacante do Real Madrid. Sua qualidade individual pode fazer a diferença e mudar o rumo das partidas. Fica a minha pergunta: e a Copa do Mundo, CR7?


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.