Matheus Brum Matheus Brum 25/05/2015

Os dois caminhos de Bandeira

matheusCaro (a) amigo (a) internauta, mais uma rodada do Campeonato Brasileiro se passou, e mais uma vez percebemos o fraco desempenho dos nossos times. Foram apenas 15 gols nesse final de semana, o que dá uma média de 1,5 gol por partida nessa rodada. Dos 10 jogos, 5 terminaram em 1 a 0. Quer mais dados para provar que o nível técnico está baixíssimo? Goiás e Sport são os líderes do Brasileirão.

Do outro lado da tabela, o Flamengo se encontra na "Zona da Confusão", na décima sétima posição, com apenas um ponto ganho. Nesse domingo, o rubro-negro foi até Florianópolis enfrentar o Avaí e acabou sendo derrotado por 2 a 1 na Ressacada. Tirando o fato de que o "Mais Querido" nunca vence no Sul do país e que o segundo gol dos catarinenses foi irregular, a partida desse final de semana foi uma das piores do time do técnico (W) Vanderlei (y) Luxemburgo.

Não é de hoje que se discute o tamanho de Luxemburgo. Não devemos desmerecer sua grande história no futebol, mas já está claro que o seu tempo passou. Todo mundo consegue perceber que há muitos anos ele vive mais do seu nome do que o seu trabalho, e que há muito tempo ele não se dedica a estudar futebol.

Todos sabemos os problemas do time do Flamengo: uma defesa fraca, um meio de campo sem organização e um ataque que não consegue fazer gol porque faltam bolas de qualidade. Tudo isso se resolveria com um bom treinamento tático. Porém, na visão do treinador, o problema é a falta de reforços para o time.

Não que o plantel seja mil maravilhas e esteja entre os melhores do país, mas será mesmo que é necessário a contratação de vários jogadores? Acredito que o que é preciso mesmo é de um articulador de jogadas, que é a posição mais carente do elenco. Tirando isso, para as pretensões da diretoria, o plantel é muito bom. Só que esses pedidos insistentes por novos jogadores podem rachar o clube e sua torcida.

Não é de hoje que admiramos o exemplo da diretoria do Flamengo de querer pagar as suas dívidas ao invés de fazer novas contratando "Deus e o Mundo". E foi justamente essa admiração que fez com que grande parte dos torcedores não reclamassem dos fracos times montados pela gestão Eduardo Bandeira de Mello, que está à frente do clube da Gávea desde 2013. Contudo, nas promessas de campanha de Bandeira, estava claro que com o passar dos anos, o time iria conseguir um fôlego financeiro e, consequentemente, começaria a montar times competitivos. O tempo passou e não foi isso que se viu. Com os pedidos constantes por reforços, se abre a pergunta: Qual caminho seguir?

Se olharmos no retrovisor da História, podemos perceber que Luxa sempre quis grandes contratações, mas todos os times que as fizeram, se deram mal. Assim foi o Altético-MG, que quase caiu, o Grêmio, que passa maus bocados por causa da "era Vanderlei", entre outros. Nos últimos dias vimos que a diretoria pegou um empréstimo de quatro milhões de reais para contratação de reforços. Os nomes vinculados ao "Mais Querido" são: Guerrero, que pedia uma fortuna ao Corinthians; Robinho, que quer um dinheiro que não condiz à condição do futebol brasileiro, e Elias, que ganha em torno de quinhentos mil reais no Timão.

Não discuto a qualidade de nenhum desses jogadores, mas será que a situação do Flamengo muda com essas possíveis chegadas? Duvido muito. A gestão Eduardo Bandeira de Mello chega em um ponto que considero crítico. Há dois caminhos para se seguir. Primeiro: segue a doutrina que foi feita até agora, troca o comando técnico, e pede para a torcida acreditar no time, ou então faz o segundo caminho, que é abrir os cofres, contratar jogadores caríssimos e rezar para todos os "deuses do futebol" para que Luxa não fracasse mais uma vez. Enquanto isso, a torcida começa a ficar impaciente e gritos de "queremos jogador" aumenta, o que coloca ainda mais "lenha nesse fogo". Espero, no fundo do meu coração rubro-negro, que Bandeira não decepcione e fique com a primeira opção.

Outros destaques

1º - Tupi consegue uma boa vitória sobre o Guaratinguetá e começa firme e forte essa Série C do Campeonato Brasileiro.

2º - Mercedes erra feio e Hamilton deixa escapar a vitória em Mônaco. Com o erro, seu companheiro, e rival, Nico Rosberg, venceu em Mônaco pela terceira vez seguida e "cola de vez" na liderança do Mundial de Fórmula 1. Agora apenas 10 pontos separam os dois pilotos da Mercedes (126 a 116). Próxima etapa é daqui duas semanas, em Montreal, no Canadá

3º - Começa nessa terça-feira a série melhor de três da final do NBB (Novo Basquete Brasil). De um lado o Bauru, que venceu o Campeonato Paulista, a Liga Sul-Americana e Liga das Américas. Do outro lado, o Flamengo que tenta o quarto título na história da competição.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

-
Matheus Brum Matheus Brum 25/05/2015

Os dois caminhos de Bandeira

matheusCaro (a) amigo (a) internauta, mais uma rodada do Campeonato Brasileiro se passou, e mais uma vez percebemos o fraco desempenho dos nossos times. Foram apenas 15 gols nesse final de semana, o que dá uma média de 1,5 gol por partida nessa rodada. Dos 10 jogos, 5 terminaram em 1 a 0. Quer mais dados para provar que o nível técnico está baixíssimo? Goiás e Sport são os líderes do Brasileirão.

Do outro lado da tabela, o Flamengo se encontra na "Zona da Confusão", na décima sétima posição, com apenas um ponto ganho. Nesse domingo, o rubro-negro foi até Florianópolis enfrentar o Avaí e acabou sendo derrotado por 2 a 1 na Ressacada. Tirando o fato de que o "Mais Querido" nunca vence no Sul do país e que o segundo gol dos catarinenses foi irregular, a partida desse final de semana foi uma das piores do time do técnico (W) Vanderlei (y) Luxemburgo.

Não é de hoje que se discute o tamanho de Luxemburgo. Não devemos desmerecer sua grande história no futebol, mas já está claro que o seu tempo passou. Todo mundo consegue perceber que há muitos anos ele vive mais do seu nome do que o seu trabalho, e que há muito tempo ele não se dedica a estudar futebol.

Todos sabemos os problemas do time do Flamengo: uma defesa fraca, um meio de campo sem organização e um ataque que não consegue fazer gol porque faltam bolas de qualidade. Tudo isso se resolveria com um bom treinamento tático. Porém, na visão do treinador, o problema é a falta de reforços para o time.

Não que o plantel seja mil maravilhas e esteja entre os melhores do país, mas será mesmo que é necessário a contratação de vários jogadores? Acredito que o que é preciso mesmo é de um articulador de jogadas, que é a posição mais carente do elenco. Tirando isso, para as pretensões da diretoria, o plantel é muito bom. Só que esses pedidos insistentes por novos jogadores podem rachar o clube e sua torcida.

Não é de hoje que admiramos o exemplo da diretoria do Flamengo de querer pagar as suas dívidas ao invés de fazer novas contratando "Deus e o Mundo". E foi justamente essa admiração que fez com que grande parte dos torcedores não reclamassem dos fracos times montados pela gestão Eduardo Bandeira de Mello, que está à frente do clube da Gávea desde 2013. Contudo, nas promessas de campanha de Bandeira, estava claro que com o passar dos anos, o time iria conseguir um fôlego financeiro e, consequentemente, começaria a montar times competitivos. O tempo passou e não foi isso que se viu. Com os pedidos constantes por reforços, se abre a pergunta: Qual caminho seguir?

Se olharmos no retrovisor da História, podemos perceber que Luxa sempre quis grandes contratações, mas todos os times que as fizeram, se deram mal. Assim foi o Altético-MG, que quase caiu, o Grêmio, que passa maus bocados por causa da "era Vanderlei", entre outros. Nos últimos dias vimos que a diretoria pegou um empréstimo de quatro milhões de reais para contratação de reforços. Os nomes vinculados ao "Mais Querido" são: Guerrero, que pedia uma fortuna ao Corinthians; Robinho, que quer um dinheiro que não condiz à condição do futebol brasileiro, e Elias, que ganha em torno de quinhentos mil reais no Timão.

Não discuto a qualidade de nenhum desses jogadores, mas será que a situação do Flamengo muda com essas possíveis chegadas? Duvido muito. A gestão Eduardo Bandeira de Mello chega em um ponto que considero crítico. Há dois caminhos para se seguir. Primeiro: segue a doutrina que foi feita até agora, troca o comando técnico, e pede para a torcida acreditar no time, ou então faz o segundo caminho, que é abrir os cofres, contratar jogadores caríssimos e rezar para todos os "deuses do futebol" para que Luxa não fracasse mais uma vez. Enquanto isso, a torcida começa a ficar impaciente e gritos de "queremos jogador" aumenta, o que coloca ainda mais "lenha nesse fogo". Espero, no fundo do meu coração rubro-negro, que Bandeira não decepcione e fique com a primeira opção.

Outros destaques

1º - Tupi consegue uma boa vitória sobre o Guaratinguetá e começa firme e forte essa Série C do Campeonato Brasileiro.

2º - Mercedes erra feio e Hamilton deixa escapar a vitória em Mônaco. Com o erro, seu companheiro, e rival, Nico Rosberg, venceu em Mônaco pela terceira vez seguida e "cola de vez" na liderança do Mundial de Fórmula 1. Agora apenas 10 pontos separam os dois pilotos da Mercedes (126 a 116). Próxima etapa é daqui duas semanas, em Montreal, no Canadá

3º - Começa nessa terça-feira a série melhor de três da final do NBB (Novo Basquete Brasil). De um lado o Bauru, que venceu o Campeonato Paulista, a Liga Sul-Americana e Liga das Américas. Do outro lado, o Flamengo que tenta o quarto título na história da competição.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

Matheus Brum Matheus Brum 25/05/2015

Os dois caminhos de Bandeira

matheusCaro (a) amigo (a) internauta, mais uma rodada do Campeonato Brasileiro se passou, e mais uma vez percebemos o fraco desempenho dos nossos times. Foram apenas 15 gols nesse final de semana, o que dá uma média de 1,5 gol por partida nessa rodada. Dos 10 jogos, 5 terminaram em 1 a 0. Quer mais dados para provar que o nível técnico está baixíssimo? Goiás e Sport são os líderes do Brasileirão.

Do outro lado da tabela, o Flamengo se encontra na "Zona da Confusão", na décima sétima posição, com apenas um ponto ganho. Nesse domingo, o rubro-negro foi até Florianópolis enfrentar o Avaí e acabou sendo derrotado por 2 a 1 na Ressacada. Tirando o fato de que o "Mais Querido" nunca vence no Sul do país e que o segundo gol dos catarinenses foi irregular, a partida desse final de semana foi uma das piores do time do técnico (W) Vanderlei (y) Luxemburgo.

Não é de hoje que se discute o tamanho de Luxemburgo. Não devemos desmerecer sua grande história no futebol, mas já está claro que o seu tempo passou. Todo mundo consegue perceber que há muitos anos ele vive mais do seu nome do que o seu trabalho, e que há muito tempo ele não se dedica a estudar futebol.

Todos sabemos os problemas do time do Flamengo: uma defesa fraca, um meio de campo sem organização e um ataque que não consegue fazer gol porque faltam bolas de qualidade. Tudo isso se resolveria com um bom treinamento tático. Porém, na visão do treinador, o problema é a falta de reforços para o time.

Não que o plantel seja mil maravilhas e esteja entre os melhores do país, mas será mesmo que é necessário a contratação de vários jogadores? Acredito que o que é preciso mesmo é de um articulador de jogadas, que é a posição mais carente do elenco. Tirando isso, para as pretensões da diretoria, o plantel é muito bom. Só que esses pedidos insistentes por novos jogadores podem rachar o clube e sua torcida.

Não é de hoje que admiramos o exemplo da diretoria do Flamengo de querer pagar as suas dívidas ao invés de fazer novas contratando "Deus e o Mundo". E foi justamente essa admiração que fez com que grande parte dos torcedores não reclamassem dos fracos times montados pela gestão Eduardo Bandeira de Mello, que está à frente do clube da Gávea desde 2013. Contudo, nas promessas de campanha de Bandeira, estava claro que com o passar dos anos, o time iria conseguir um fôlego financeiro e, consequentemente, começaria a montar times competitivos. O tempo passou e não foi isso que se viu. Com os pedidos constantes por reforços, se abre a pergunta: Qual caminho seguir?

Se olharmos no retrovisor da História, podemos perceber que Luxa sempre quis grandes contratações, mas todos os times que as fizeram, se deram mal. Assim foi o Altético-MG, que quase caiu, o Grêmio, que passa maus bocados por causa da "era Vanderlei", entre outros. Nos últimos dias vimos que a diretoria pegou um empréstimo de quatro milhões de reais para contratação de reforços. Os nomes vinculados ao "Mais Querido" são: Guerrero, que pedia uma fortuna ao Corinthians; Robinho, que quer um dinheiro que não condiz à condição do futebol brasileiro, e Elias, que ganha em torno de quinhentos mil reais no Timão.

Não discuto a qualidade de nenhum desses jogadores, mas será que a situação do Flamengo muda com essas possíveis chegadas? Duvido muito. A gestão Eduardo Bandeira de Mello chega em um ponto que considero crítico. Há dois caminhos para se seguir. Primeiro: segue a doutrina que foi feita até agora, troca o comando técnico, e pede para a torcida acreditar no time, ou então faz o segundo caminho, que é abrir os cofres, contratar jogadores caríssimos e rezar para todos os "deuses do futebol" para que Luxa não fracasse mais uma vez. Enquanto isso, a torcida começa a ficar impaciente e gritos de "queremos jogador" aumenta, o que coloca ainda mais "lenha nesse fogo". Espero, no fundo do meu coração rubro-negro, que Bandeira não decepcione e fique com a primeira opção.

Outros destaques

1º - Tupi consegue uma boa vitória sobre o Guaratinguetá e começa firme e forte essa Série C do Campeonato Brasileiro.

2º - Mercedes erra feio e Hamilton deixa escapar a vitória em Mônaco. Com o erro, seu companheiro, e rival, Nico Rosberg, venceu em Mônaco pela terceira vez seguida e "cola de vez" na liderança do Mundial de Fórmula 1. Agora apenas 10 pontos separam os dois pilotos da Mercedes (126 a 116). Próxima etapa é daqui duas semanas, em Montreal, no Canadá

3º - Começa nessa terça-feira a série melhor de três da final do NBB (Novo Basquete Brasil). De um lado o Bauru, que venceu o Campeonato Paulista, a Liga Sul-Americana e Liga das Américas. Do outro lado, o Flamengo que tenta o quarto título na história da competição.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.