• Assinantes
  • Autenticação
  • Fim de Ano

    Chegada do fim de ano pode ser motivo de tristezaPeríodo de avaliações pode mostrar balanço negativo e gerar sentimentos de perda. Idealizar a família feliz ajuda a despertar sinais de frustração

    Clecius Campos
    Repórter
    10/12/2010

    A chegada do fim do ano pode trazer tristeza a algumas pessoas. As principais razões que podem levar a sinais de melancolia são frustrações com os resultados obtidos ao longo dos anos ou até mesmo as comparações feitas com o ambiente familiar e a idealização da família feliz, proposta pela mídia. A falta de entes queridos também costuma causar sentimentos de pesar.

    A professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Bianca Faveret, explica que a tristeza é comum neste período, mesmo com o clima de festa. "Ficou convencionado que o fim do ano é o término de um período da vida e, por essa razão, acabamos fazendo avaliações. Esses balanços vão indicar ganhos e perdas, o que pode causar alegria ou tristeza. Além disso, é um período que as pessoas estão cansadas, mais propensas aos sinais de tristeza."

    A psicanalista acredita que o apelo à família feliz, idealizada em campanhas publicitárias e na televisão, pode ser responsável para que as situações de frustração sejam mais acentuadas. "A vida familiar emocional é sempre difícil e conturbada, muito diferente do que aquilo que é idealizado na propaganda de panetone. A ilusão dessa família cor de rosa acaba não se concretizando, já que no Natal as pessoas se ressentem por ter seus mortos, seus desentendimentos em casa, e ficam ainda mais prostradas. Quem compra a ideia de que a família ideal é aquela que aparece na propaganda de margarina, certamente ficará triste por não perceber a mesma estrutura dentro de casa."

    Tristeza é natural

    Segundo Bianca, tais sinais são naturais e não chegam a configurar um estado de depressão. "É uma tristeza cabível, nada que gere qualquer alerta." Para ela, a busca por cada vez mais é que pode ser alvo de atenção. "As pessoas estão em uma compulsão para o consumo, como se precisassem comprar para completar alguma coisa, talvez a carência da família ideal. Para um Natal feliz, temos que iluminar o que temos e não o que nos falta."

    Uma sugestão para amenizar as frustrações e as tristezas é encarar a família como ela é e não esperar demais. "Se a pessoa não consegue tirar da mente essa comparação, é melhor não forçar a barra. Prepare um momento de recolhimento com os amigos, agarre-se a eles. Faça uma comemoração com a família que você escolheu. Vivemos em um mundo pós-moderno, onde tudo tomou um rumo diferente. Às vezes, percebemos a necessidade de estar com a família, porque as relações de Natal têm um decalque patriarcal."

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.