• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios
    Sexta-feira, 25 de janeiro de 2013, atualizada às 16h45

    Indústria de transformação teve o pior desempenho entre os setores da economia em 2012

    Andréa Moreira
    Repórter
    Indústria da transformação

    O setor da indústria de transformação em Juiz de Fora teve o pior desempenho nos últimos 12 meses. Os dados divulgados nesta sexta-feira, 25 de janeiro, pelo Ministério do Trabalho, através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelam que o município acumulou um saldo negativo de 123 postos de trabalho. Sendo que foram admitidas 9.728 e, no mesmo período, demitidas 9.905 pessoas.

    Se olharmos apenas para o último mês do ano, o cenário é ainda pior, pois o saldo negativo chegou a 448 postos de trabalho, com 411 novas oportunidades e 859 desligamentos. Para o consultor econômico do Centro Industrial de Juiz de Fora, Antônio Flávio Luca do Nascimento, esta realidade se deve a vários fatores, como a crise internacional, o mercado cambial, ao arrefecimento da indústria e os altos impostos do país. "As empresas frearam seus investimentos na expectativa de dias melhores. E em um cenário geral, aconteceu um processo de desaquecimento da economia, não gerando consumo e, consequentemente, desemprego."

    Os dados apresentados em 2011 pelo Caged já revelavam a retração do setor. Naquele ano, a área da indústria de transformação teve o segundo pior desempenho, com saldo negativo de 102 postos de trabalho, perdendo apenas para a construção civil, que acumulou um saldo de menos 487 postos de trabalho. Segundo o consultor, essa retração já era esperada. "Na verdade, viemos de duas grandes crises. A primeira em 2008, que ocorreu nos Estados Unidos, e que não foi curada. E agora a crise europeia, que teve reflexos diretos no Brasil. Esses acontecimentos acentuam-se mais na área da indústria, afinal, é ela que vai sedimentar o produto da nossa economia."

    Apesar de a construção civil ter ocupado a segunda pior colocação no último mês de dezembro, com a criação de apenas 499 postos de trabalho e 737 desligamentos, gerando assim, um saldo negativo de 238 empregos; se observamos todo o ano de 2012, o setor ficou em terceiro lugar, com a criação de 672 postos de trabalho.

    Saldo positivo

    Durante 2012, o segundo setor que mais criou empregos em Juiz de Fora foi o do comércio, com 681 novos postos. Nesse período, 20.633 trabalhadores foram contratados e, em contrapartida, 8.303 demitidos. Mas o setor que mais criou empregos no município, superando, e muito, todas as sete outras áreas analisadas, foi o de serviços. O segmento fechou o ano com 5.512 novos postos de trabalho, sendo que 32.260 trabalhadores foram desligados e 37.772 contratados.

    Apesar desses números, o setor de serviços teve uma retração em dezembro passado, com 2.261 admissões e 2.429 demissões, fazendo com que a área ficasse com menos 168 postos de trabalho.

    Confira, abaixo, o desempenho de todos os setores em Juiz de Fora, no ano de 2012

    Setor Admissões Demissões Saldo
    Serviços 37772 32260 5512
    Comércio 20633 19952 681
    Construção Civil 8975 8303 672
    Ser. Ind. De Util. Pública 92 62 30
    Extrativa Mineral 50 26 24
    Administração Pública 35 92 -57
    Agropecuária 596 699 -103
    Indústria da Transformação 9782 9905 -123

    Os textos são revisados por Juliana França

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.