Margarida Salomão terá Conselho Político com a função de aconselhar e criticar seu mandato

De forma inédita, o conselho, formado por 20 pessoas, vai atuar como espécie de ombusdsman da deputada federal

Raphael Placido
Repórter
9/3/2013
Margarida Salomão

Enquanto candidata, uma das principais plataformas políticas de Margarida Salomão sempre foi a participação popular. Agora deputada federal, a petista quer aplicar medidas que coloquem isso em prática. Neste sábado, 9 de março, ela empossa um Conselho Político, formado por 20 pessoas de destaque em Juiz de Fora e região, que terão a função de criticar e aconselhar seu mandato. A posse vai ocorrer na primeira plenária participativa do mandato.

Margarida explica que o conselho terá a função de ombudsman. O termo, de origem sueca, significa originalmente "representante do povo", sendo aquele que canaliza problemas e reclamações da população. Na imprensa, onde também aparece, é usado para designar o representante dos leitores dentro de um jornal.

"É uma seleção de pessoas externas à equipe de mandato, que terão como função avaliar, criticar e regular as decisões, ações e atividades. Dessa forma, seremos capazes de ouvir, chamar à participação e prestar contas à população de forma participativa e popular", explica Margarida. A objetivo do conselho, segundo a assessoria da deputada, é instituir uma comissão permanente de acompanhamento, incluindo as principais forças da sociedade. Embora outros políticos do PT adotem medidas de participação popular no mandato, a forma como o conselho será organizado é considerada inédita.

Heterogêneo, o grupo, composto por dez homens e dez mulheres, engloba políticos, professores, sindicalistas e lideranças comunitárias, a maioria ligada ao Partido dos Trabalhadores. Entre os destaques, as presenças do diretor do Instituto Lula, o ex-ministro Luiz Dulci; e da secretária de Finanças e Planejamento do PT-MG, Gleidi Andrade.

Confira a lista com todos os integrantes do conselho

  • Adenilde Petrina Bispo (líder comunitária);
  • Ana Cristina Pimentel (militante na área de saúde);
  • Áurea Gouvea (professora);
  • Brás Cataldo (empresário);
  • Cláudia Correa (ativista política de Santos Dumont);
  • Elenice Pereira Delgado (ex-vice-prefeita de Lima Duarte);
  • Gabriel dos Santos Rocha - Biel (secretário interino nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos);
  • Gabriela Crochet - Gabi (primeira candidata a vice-prefeita de Juiz de Fora);
  • Gilson Lírio (ex-vereador de Simão Pereira);
  • Gleidi Andrade (secretária de Finanças e Planejamento do PT-MG);
  • Luiz Dulci (diretor do Instituto Lula);
  • Maria de Fátima Lage Barra (presidente do Sindicato dos Têxteis de Juiz de Fora);
  • Martvs das Chagas (diretor de Fomento e Promoção da Cultura Afro-brasileira da Fundação Cultural Palmares);
  • Renê Matos (ex-reitor da UFJF);
  • Roberto Cupolillo - Betão (vereador de Juiz de Fora);
  • Suzana Villaça (militante em defesa das mulheres);
  • Terezinha Scher (professora);
  • Valmir dos Reis (membro da executiva do PT-JF);
  • Wanderson Castelar (vereador de Juiz de Fora);
  • Zé Custódio (ex-vereador de Matias Barbosa).

Participação popular em outras frentes

A assessoria da deputada federal explica que, além do conselho, a participação popular no mandato de Margarida tem sido feita em duas outras frentes. A primeira se dá por meio de visitas e encontros com representantes da sociedade organizada. Sindicatos, entidades, assembleias populares, conselhos e outras instituições estão sendo e serão permanentemente ouvidos.

Além disso, serão formadas quatro Comissões Participativas do Mandato, temáticas que têm como função o apoio técnico e político às decisões a serem tomadas coletivamente. Os temas das comissões são: desenvolvimento regional, movimentos sociais, movimentos sindicais e educação.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.