• Assinantes
  • Saúde

    UPAs desafogam em 30% atendimentos no HPS e no PAI Desde que UPAs de Santa Luzia e São Pedro foram criadas, atendimento em outras unidades têm diminuído. No entanto, o tempo de espera é maior

    Pablo Cordeiro
    Repórter
    10/9/2010

    Mesmo com a falta constante de médicos na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) em Juiz de Fora, a chegada das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) desafogaram o atendimento de dois dos principais pontos de concentração de reclamações por parte da população: o Hospital de Pronto Socorro (HPS) e o Pronto Atendimento Infantil (PAI). Desde janeiro, enquanto a quantidade de atendimentos nas UPAs cresce, nas outras unidades têm caído, o que representa melhorias para os usuários da rede.

    A UPA de Santa Luzia foi inaugurada em 20 de janeiro e completou, em setembro, sete meses de funcionamento. A de São Pedro teve sua inauguração em 27 de maio e completou três meses agora este mês. A proposta das UPAs é oferecer atendimento de emergência, baixa e média complexidade, 24 horas por dia. Em relação às unidades semelhantes no município, desde quando as populações dessas duas regiões começaram a utilizar do serviço, a média de atendimentos no PAI e no HPS caiu de 20% a 30%, segundo afirmam os administradores (confira tabela abaixo).

    De acordo com o diretor geral do HPS, Geraldo Dilly, após a criação das UPAs houve uma diminuição de cerca de 20% na quantidade de atendimentos clínicos prestados no hospital. "Na atenção primária, como a UPA já trabalha com o protocolo [de Manchester], ela devolve os pacientes para as Uaps [Unidades de Atenção Primária à Saúde]. Lá eles fazem o encaminhamento", explica. Dilly ressalta a recomposição do quadro de médicos. "Estamos com o quadro quase completo de médicos na rede clínica. Meses atrás tínhamos apenas um. Hoje, temos três ou quatro", define.

    Para a diretora do PAI, Fernanda Cell de Miranda, o percentual de queda nos atendimentos chegou a 30% em julho, mas devido às faltas recorrentes de médicos, não se pode afirmar, com certeza, que a queda refere-se ao serviço das UPAs. "Nessas áreas de abrangência, a procura dos usuários têm sido menor. Entretanto, ficamos sem médico em junho e julho nos plantões de final de semana. Em abril, quando as regionais Leste e Norte ficaram sem médicos, a demanda de pediatria aumentou 43%", explica, para ilustrar a variação nos dados. Em dias de semana, o PAI faz cerca de 60 atendimentos diários e nos finais de semana, a média sobe para 130.

    Para a usuária Márcia de Oliveira, que foi apenas uma vez na UPA de Santa Luzia, a primeira impressão permaneceu como positiva, já que estava acostumada a ser atendida no HPS. Ela afirma que pôde perceber que as principais diferenças entre os locais são o tempo de atendimento e o modo como foi tratada. "No HPS espero quatro horas e na UPA sou atendida entre 30 minutos e 1 hora. Lá fui bem recebida e o médico foi bastante atencioso. No HPS, eles não têm nenhuma atenção com os pacientes", afirma. No entanto, ela aponta uma desvantagem percebida na UPA: o atendimento de urgência. "Acredito que a UPA não está preparada para prestar atendimento de emergência, como o HPS."

    Número de atendimentos
    Santa Luzia São Pedro HPS
    Mês Atendimentos Mês Atendimentos Mês Atendimentos
    Janeiro 1.711 - - Janeiro 4.070
    Fevereiro 4.519 - - Fevereiro 4.214
    Março 6.650 - - Março 3.405
    Abril 8.699 - - Abril 3.229
    Maio 9.032 - - Maio 3.786
    Junho 7.467 Junho 3.415 Junho 2.752
    Julho 7.327 Julho 3.990 Julho 2.835
    Agosto 7.582 Agosto 4.507 Agosto 3.176

    Fonte: Secretaria de Saúde, HPS

    Pelos dados apresentados pela Secretaria de Saúde (SS) e pelo HPS, é visível a variação da quantidade de atendimentos quando comparadas as três unidades da tabela. Nos meses de funcionamento da UPA de São Pedro e a de Santa Luzia, o percentual de atendimentos no HPS caiu 31%.

    Dez horas esperando?

    Ao contrário de Márcia, que aguardou cerca de 1 hora para ser atendida em Santa Luzia, a vendedora Maria Cristina Gomes não teve tanta sorte. Nas vezes em que precisou ser atendida na UPA, Maria Cristina elogiou bastante o atendimento prestado pelos médicos, mas repreendeu o tempo de espera. Segundo ela, estava sob suspeita de dengue e chegou ao pronto atendimento às 10h e foi atendida somente às 20h. Na segunda vez, o problema foi semelhante: ficou das 20h até 1h da madrugada do dia seguinte. "Mesmo com a fita vermelha, a pessoa espera bastante. Uma mulher até desmaiou. Uma amiga minha estava com prioridade e ficou lá mais tempo do que eu", desabafa.

    Para o presidente do Conselho Regional de Saúde da região sanitária de Santa Luzia, Mauro Humberto Lote, essa demora no atendimento é comum e um dos motivos é a falta de conscientização da população acerca do funcionamento da UPA. "A Upa não substitui as Uaps e também não é hospital por não ter internação. Uns pensam que vão para ser consultados, outros para pegar remédio e há os que procuram internação."

    Reclamações no atendimento

    As reclamações acerca do tempo de demora na UPA de Santa Luzia e na de São Pedro são identificadas pela Ouvidoria Municipal de Saúde. Segundo estatísticas, desde janeiro, a UPA Sul (Santa Luzia) recebeu 25 reclamações, enquanto a Oeste (São Pedro), sete. Segundo a ouvidora Samantha Borchear, as reclamações com relação às UPAS estão relacionadas à demora no atendimento, principalmente quando ocorreu o surto de dengue (confira tabela).

    Número de reclamações
    Mês Santa Luzia São Pedro HPS PAI
    Janeiro - - 8 -
    Fevereiro 2 - 21 1
    Março 5 - 4 -
    Abril 7 - 3 -
    Maio 3 - 5 -
    Junho 4 - 11 1
    Julho 3 7 10 2
    Agosto 1 - 5 -

    Fonte: Ouvidoria Municipal de Saúde

    Sobre o HPS, as queixas referem-se ao mau atendimento, demora na obtenção de transferência e demora na retirada de pinos (procedimento pós-cirúrgico ortopédico). Em relação à UPA de São Pedro, a unidade teve dias de atendimento sem o quadro médico completo, o que motivou as críticas pelos usuários.

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.