• Assinantes
  • Saúde

    Infarto e AVC são as principais causas de morte em Juiz de ForaEm 2008, 2009 e 2010, os óbitos ocasionados por doenças do aparelho circulatório representaram 27,8%, 27% e 25,7%, respectivamente, do total de falecimentos

    Victor Machado
    *Colaboração
    6/7/2011
    Médico preescrevendo

    As principais causas de morte em Juiz de Fora são as doenças do aparelho circulatório, entre elas, infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Os números são de um levantamento feito pela Secretaria de Saúde de Juiz de Fora. Em 2008, 2009 e 2010, os óbitos ocasionados por doenças do aparelho circulatório representaram 27,8%, 27% e 25,7%, respectivamente, do total de falecimentos na cidade. A segunda maior causa de morte são as neoplasias, seguidas de doenças respiratórias.

    Para o cardiologista, especialista pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, Darcílio Souza Filho, os números representam uma realidade que não é característica apenas de Juiz de Fora. "Os dados estatísticos apontam que, no Brasil inteiro e no mundo, a principal causa de morte é essa."

    De acordo com o levantamento, o infarto é o que mais mata na cidade. Em 2008, representou 24,3% dos óbitos, dentro do universo de doenças circulatórias. Em 2009, o número foi para 24,6% e, em 2010, 24,9%. Já em relação ao número total de falecimentos, o infarto agudo do miocárdio foi responsável por 6,7% em 2008, 6,6% em 2009 e 6,4% em 2010. 

    Em segundo, o AVC, representou 18,6% dos óbitos, dentro do universo de doenças circulatórias. Em 2009, o índice foi 17,7% e, em 2010, 18,5%. Se relacionado ao total de mortes na cidade, o número chegou a 5,2% em 2008 e 4,7% em 2009 e 2010.

    Segundo o cardiologista, esse cenário diferencia do nacional. "No Brasil, temos um índice maior de mortes por AVC do que infarto, mas em algumas regiões ou cidades isso muda. É o caso de Juiz de Fora. Fato é que são as duas principais." No entanto, o especialista afirma que essa diferença não altera o diagnóstico. Segundo ele, o que deve ser observado é que todas são causadas da mesma maneira. "São todas do mesmo mecanismo, o sistema circulatório."

    Aumento na expectativa de vida

    Para Darcílio, os números podem ser justificados pelo aumento na expectativa de vida da população. "A expectativa aumenta e os riscos de se ter essas doenças também crescem." Mas, segundo ele, o que assusta é que cada vez mais, essas doenças têm aparecido na população mais jovem. "Antigamente, um infarto acontecia somente acima dos 50 ou 55 anos. Hoje em dia, já temos uma população mais jovem sofrendo com isso."

    Causas

    A principal causa dessas doenças é a hipertensão arterial ou pressão alta. O médico afirma ainda que maus hábitos também são provocadores. "Fumantes, diabéticos, pessoas com colesterol alto, obesos e os que não praticam esporte têm mais chance de sofrer doenças circulatórias." Além dos hábitos alimentícios, o estresse também é apontado com uma das principais causas das doenças.

    O médico aconselha como prevenção a prática de esportes e a melhora no hábito alimentício. "Principalmente, para as pessoas com herança genética. Mas é importante que todos se previnam com uma boa alimentação e prática de esportes. É a melhor maneira de evitar."

    Outros números

    Depois das patologias do aparelho circulatório, as neoplasias surgem como as principais causas de falecimentos na cidade. Em 2008, foram responsáveis por 16,9% do total de mortes em Juiz de Fora. Em 2009, o índice foi de 16% e, no ano passado, 16,3%. Males do aparelho respiratório aparecem em terceiro no ranking, com 11,3% de falecimentos em 2008, 13,2% em 2009 e 12,4% em 2010.

    *Victor Machado é estudante do 7º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.