• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 7 de novembro de 2013, atualizada às 17h

    Ministério da Saúde alerta sobre acidentes com animais peçonhentos

    Michael & Christa Richert

    Com a chegada das chuvas, o risco de acidentes com animais peçonhentos como escorpiões, aranhas e serpentes aumenta. Entre novembro de 2012 e março deste ano, durante a temporada de chuvas na maior parte do país, 71.217 acidentes e 144 mortes foram registradas. Se comparado com o mesmo período do ano anterior, houve um aumento de quase 6% no número de acidentes com estes animais e 9% em relação a óbitos.

    O aumento dessas ocorrências acontece por causa das chuvas, momento em que os animais peçonhentos são obrigados a sair dos seus esconderijos e a procurar novo abrigo, tanto em áreas urbanas quanto rurais. Assim, não é difícil encontra-los nas proximidades das casas, jardins e parques. O processo de urbanização também tem levado ao aumento da exposição a estes animais. O escorpião, por exemplo, se alimenta de baratas, portanto sobrevive em ambientes urbanos com facilidade. Além disso, o depósito e acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção junto às habitações podem servir de abrigo para os animais peçonhentos.

    Os escorpiões são os responsáveis pela maior ocorrência destes acidentes no Brasil. Quase metade das notificações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) é devido a estes animais. Em 2012, houve 65.008 casos de acidentes por escorpiões, ou seja, 45% do total notificado no ano. As serpentes causaram 20% dos acidentes, 18% foram pelas aranhas, 7% pelas abelhas, 3% pelas lagartas e 7% por outros animais.

    Prevenção

    Segundo o Ministério da Saúde, existem algumas dicas que podem ser seguidas:

    -Manter a casa e a área ao redor limpas, uma vez que o lixo e entulhos podem servir de abrigo para muitos destes animais;

    -Ficar atento à limpeza de armários, já que ambientes escuros e úmidos servem de esconderijos para aranhas e escorpiões;

    -Vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros, meias-canas e rodapé, além de utilizar telas e vedantes em portas, janelas e ralos;

    -Usar luvas e botas ao entrar em matas ou plantações, no caso de moradores de área rural e trabalhadores da agricultura.

    Cuidados

    O Ministério da Saúde alerta para os cuidados que as pessoas devem ter em caso de acidente:

    -Em caso de acidente, a pessoa deve ser encaminhada, o mais rápido possível, para o hospital;

    -Durante o socorro, deve se mover pouco;

    - O membro atingido deve ser colocado numa posição mais elevada em relação ao corpo;

    - O local da picada pode ser lavado apenas com água e sabão;

    - Não é recomendável amarrar o membro acidentado nem sugar o ferimento com a bocal. Tampouco é indicada a aplicação de qualquer tipo de substancia (pó de café, álcool, urina, entre outros) na lesão;

    - No momento do atendimento, é importante informar ao profissional de saúde o máximo possível de características do animal, como espécie, cor e tamanho.

    Dependendo da espécie do animal, os acidentes podem até levar a morte, caso a pessoa não seja socorrida e tratada adequadamente, quando necessário, com soro específico. O Ministério da Saúde distribui soros anti peçonhentos para todo o país, que está disponível na rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

    Com informações do Portal Saúde

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.