Quarta-feira, 11 de novembro de 2015, atualizada às 14h27

Acadêmicos fazem atendimento preventivo contra arritmia cardíaca na UFJF

campanha

Para prevenir contra problemas de arritmia cardíaca e morte súbita, médicos, residentes do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU/UFJF) e integrantes da Liga Acadêmica de Cardiologia da Faculdade de Medicina estarão no campus da universidade nesta quinta-feira, 12 de novembro, das 8h às 12h, para tirar todas as dúvidas sobre o assunto. A ação integra a campanha "Coração na Batida Certa", que está em sua nona edição e organizada pela Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC).

De acordo com o presidente da Liga Acadêmica de Cardiologia, Eder Frederico de Andrade da Silva, serão montadas tendas, mesas e cadeiras para medir pressão arterial e distribuídos panfletos com orientações a todos que comparecerem. Além dessas orientações será destacado ainda a importância de medidas preventivas, hábitos saudáveis e orientações sobre exames médicos periódicos, que devem ser feito com um cardiologista.

O objetivo é alertar a população leiga e profissional sobre os principais sintomas de uma arritmia cardíaca, doença que acomete mais de 20 milhões de brasileiros e é responsável pela morte súbita de mais de 300 mil pessoas todos os anos. "Entre as arritmias existentes, a Fibrilação Atrial é a mais prevalente na população mundial e brasileira, sobretudo em indivíduos com mais de 75 anos de idade. A principal consequência desta doença é o Acidente Vascular Cerebral - AVC/Derrame", explica o cardiologista e presidente da SOBRAC, Luiz Pereira de Magalhães.

O que é fibrilação atrial e AVC?

A Fibrilação Atrial é caracterizada pelo ritmo de batimento rápido e irregular dos átrios do coração.
A incidência é de 2,5% da população mundial, o que equivale a 175 milhões de pessoas.
Sua principal consequência é o aumento do risco de acidente vascular cerebral (AVC).

Em seu estado normal (Ritmo Sinusal), o coração contrai ritmicamente, em consequência dos disparos elétricos de forma regular. Quando não há essa regularidade, ocorre uma perturbação do ritmo cardíaco, conhecida como arritmia. Se for rápida e totalmente irregular, pode estar relacionada à Fibrilação Atrial.

O caminho para o AVC inicia-se no momento em que os átrios perdem a capacidade de se contrair de forma ritmada, e começam a fibrilar, apresentando contrações desordenadas do músculo cardíaco. Assim, deixa de enviar de forma regular o sangue para o ventrículo. Ao ficar estagnado, pode criar grandes coágulos que, quando se soltam, entram na circulação sanguínea e bloqueiam as artérias do cérebro, o que provoca o AVC.

Com informações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.