Ana Stuart Ana Stuart 22/2/2013

Transtorno do humor

SolidãoTodos estamos sujeitos ao transtorno do humor. Vou citar alguns sintomas...

Por exemplo, uma pessoa que passa por uma fase de LUTO, mas não apresenta sintomas físicos ou emocionais, a não ser que venha associado à DEPRESSÃO. E, normalmente, isto ocorre de forma dimensional. Na DEPRESSÃO, a pessoa apresenta choro fácil e constante; alterações do sono como insônia ou hipersonia; perda de energia e de concentração; alterações na fala, como o mutismo, que é o negativismo verbal ou fala lentificada; diminuição da resposta sexual, como a disfunção erétil, orgasmo retardado, anorgasmia ou anedonia, que é a ausência de prazer total pela vida; apatia; melancolia; desesperança; muita ansiedade; sentimento de tédio; aborrecimento crônico; inapetência ou compulsão alimentar, entre outros sintomas.

Na MANIA, os sintomas já são de logorréia, que é produção verbal rápida da fala, fluente e persistente; agitação psicomotora; desinibição social e sexual; tendência exagerada para comprar objetos ou dar pertences indiscriminadamente; aumento exagerado da autoestima, com elação, que é o engrandecimento do eu; delírio de grandeza e poder, insônia constante; e outros.

Enumerei os sintomas acima para que possamos discernir quando é preciso buscar ajuda, pois, algumas vezes, por ser dimensional, são sutis e vão aumentando gradativamente.

O primeiro passo é buscar ajuda médica para um diagnóstico correto, concomitantemente, buscar o autoconhecimento por meio da verbalização, para detectar as possíveis causas do desencadeamento de tais sintomas. É importante também que se busque ajuda do poder superior, para fecharmos a tríade de corpo, mente e espírito.

Tenho visto tambem que, na maioria dos casos, pessoas que buscam o apoio em grupo de mútua ajuda conseguem acelerer o processo de recuperação, Neuróticos Anônimos por exemplo. É importante que as pessoas não entrem em um processo de preconceito quanto às nomeclaturas, como neuróticos ou psicóticos, mas que tenham a humildade de perceber que algo está errado, esquecer o orgulho e pensar que é o momento de parada para balanço, lembrando que trevas são sinonimo de visão.

As catástrofes, como perda de ente querido, por morte ou separação, excesso de culpa, declínio financeiro e outros podem desencadear os TRANSTORNOS DE HUMOR. E, muitas vezes, além do perigo de suicídio eminente, há também o risco do suicídio inconsciente, quando as doenças oportunistas aparecem. É importante que a família se una e fale a mesma língua, ao invés de apontar e criticar. Percebendo, desta forma, que todos precisam de ajuda. Olhando para dentro de si mesmo e se conscientizando que ninguém está neste barco por acaso!


Ana Stuart
é psicóloga e terapeuta familiar.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.