Quinta-feira, 13 de outubro de 2011, atualizada às 19h

Comitê da Cidadania apresenta os gastos da Câmara Municipal de JF

Jorge Júnior
Repórter
comite

Nesta quinta-feira, 13 de outubro, o Comitê de Cidadania de Juiz de Fora divulgou, durante coletiva de imprensa, os gastos da Câmara Municipal de Juiz de Fora, no período de janeiro a junho de 2011. "Este ano já foram gastos R$ 513.797,59", diz a presidente do comitê Déa Emília de Andrade. Segundo a presidente, agora o grupo vai avaliar se todos os gastos possuem notas fiscais.

Segundo a presidente, o objetivo é que o comitê informe à população, a fim que os juiz-foranos tomem conhecimento dos gastos do legislativo. "Desde 2000 que implantamos o comitê na cidade, já realizamos 128 encontro, sem interrupções, além de participar das reuniões da Câmara e audiências públicas", conta.

Déa diz ainda que o grupo atende movimentos pautados pela ética na política, nas entidades, fazendo um trabalho de credibilidade. "O trabalho vem sendo divulgados nas escolas do município, nos movimentos de bases, buscando multiplicadores, com o objetivo de diminuir a corrupção", enfatiza a coordenadora Elisabeth César Costa. O trabalho já foi feito com 15 escolas da cidade. "São instituições municipais, estaduais e particulares, que nos convidaram para desenvolver esse trabalho de conscientização", acrescenta. De acordo com Elisabeth, o comitê visita às escolas somente no período das eleições. "Fora dessa época, nós distribuímos cartilhas e jornais informativos."

Essa credibilidade é explicada pela coordenadora do Comitê de Cidadania Jovem da Escola Municipal Ademar Resende, Eliane Souza Ferreira. "O que mais chama a atenção no movimento é a força dos jovens no projeto. Nos encontros, temos a oportunidade de mostrar como funciona e quais as funções do Legislativo, Executivo e Judiciário, por meio de reuniões semanais", diz Eliane.

Com o trabalho, outra iniciativa criada foi a criação de uma rádio dentro da escola. A rádio funciona uma vez por semana, com os alunos de 11 a 14 anos, com um programa dividido em dois blocos. "As crianças se interessam muito pelo projeto e frequentam as audiências públicas e cobram atitudes", afirma. Quem também evidencia a visibilidade do grupo, é o jovem Ygor Teixeira Rodrigues. "O projeto aproxima os problemas da cidade na escola e, com isso, nós ficamos com um olhar mais crítico."

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.