• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação



    Em busca de um lar para morar em Juiz de Fora


    Procura por imóveis aumenta em média 50%
    70% dos clientes são estudantes

    Débora Sereno
    05/02/04


    Saiba os cuidados que você deve ter na hora de assinar o contrato de locação. Dicas do Procon

    Ouça! Ouça! Ouça!

    Em busca de melhores oportunidades nos estudos, muitos jovens saem cedo de casa. Alguns optam pela mudança já no segundo grau, quando começam a se preparar para corrida do Vestibular, outros esperam a tão sonhada vaga na universidade.

    A verdade é que, se por um lado a possibilidade de ficar longe dos pais agrada aos estudantes, na prática a tarefa de encontrar um novo "lar" pode não ser tão fácil assim.

    Mercado consolidado

    Há vinte anos no ramo de imóveis, Washington Frade Pires, proprietário de uma imobiliária, garante que todo ano é a mesma coisa. "A procura por imóveis aumenta em média 50%, na época de janeiro e fevereiro, período próximo aos resultados dos vestibulares e início das aulas". Washington calcula que 70% dos clientes que procuram a sua imobiliária neste período são estudantes.

    E os números não param por aí. A procura também vem crescendo em média de 20% a 30%, em relação aos anos anteriores. Com mais de dez faculdades, Juiz de Fora atrai estudantes de toda a Zona da Mata mineira e outras cidades do país. Ponto positivo para as imobiliárias e proprietários de imóveis. "O mercado de locação em Juiz de Fora, vem firmando-se cada vez mais com o aumento do número de faculdades", acrescenta Washington.

    Vanessa da Silva, secretária de outra imobiliária da cidade, diz que para se adaptar a essa realidade, a empresa chega a fazer algumas concessões. "Nós trabalhamos com calção - depósito do valor de três aluguéis como garantia - e, em alguns casos, aceitamos fiador de outras cidades, já que os estudantes têm dificuldade em conseguir um de Juiz de Fora".

    A ordem é pesquisar

    Ana Laura Buzinare vai deixar a casa dos pais, em São João Nepomuceno, e viver a experiência de morar sozinha pela primeira vez. Mesmo sendo emancipada e capaz de cuidar de toda a parte burocrática sozinha, a estudante de 18 anos não dispensou a ajuda da mãe na hora de procurar pelo imóvel. "Tentei unir o útil ao agradável e, para isso, só pesquisando. Visitei muitas imobiliárias". Os requisitos principais eram: segurança, preço e localização. "Dei preferência a localização porque, sem carro, é legal ter um ponto de ônibus perto que facilite o acesso à universidade. Também procurei um prédio com porteiro, pensando na segurança".

    A ausência de porteiros aliás, deixou a estudante de comunicação, Flávia Medeiros Cocate, (foto ao lado) preocupada. "Quando fui morar sozinha pela primeira vez, em Belo Horizonte, estava tão feliz que não me preocupei com nada. Minha irmã resolveu tudo". Mas na hora da mudança para Juiz de Fora, Flávia foi mais cautelosa.

    Apesar da família ter um apartamento na cidade, ela pesquisou outros imóveis que pudessem atender melhor a sua expectativa "Acho importante ter porteiro e o nosso prédio não tem. Por isso, pesquisei muito uma outra possibilidade. Como não consegui aliar tudo que queria, optei pelo apartamento da família mesmo e coloquei grade em tudo". Outro cuidado importante para a estudante é verificar se o prédio está em boas condições. "Muitos apartamentos que olhei eram velhos e estavam cheios de problemas".

    A estudante de fonoaudiologia,Emauelle Cabral Trindade, de 22 anos, já tem alguma experiência no assunto e sabe que a tarefa não é fácil. Há quatro anos morando em Juiz de Fora, ele já se mudou três vezes. E parece já estar craque. "O principal é mesmo pesquisar, tem que andar muito, visitar diversas imobiliárias, visitar os locais". Com esses depoimentos, as três concordam: quem quer procurar um apartamento para morar, não pode ter preguiça na hora de pesquisar o seu novo lar.

    Eles sabem tudo

    Na busca pelo melhor local vale tudo. Procurar em imobiliárias, pesquisar com os amigos e familiares, olhar quadros de aviso das universidades e classificados. Outra boa opção que atrai muitos estudantes são os porteiros. Eles sabem de tudo que acontece nos prédios e conhecem a vizinhança.

    O porteiro, José Carlos Mangir (foto ao lado), conta que todos os dias é abordado por alguém na portaria do prédio procurando informação."É muito comum as pessoas pararem e perguntar se aqui tem apartamentos vagos".

    E o colega e vizinho de trabalho, Wagner Vieira Dias (foto ao lado), garante que eles são uma boa fonte. "A gente fica aqui o dia inteiro, e acaba sabendo de tudo: preço do aluguel, condomínio, contato e muitas vezes conhecemos o local melhor que o corretor". José Carlos dá outra dica: visitar os apartamentos novamente depois de ir com o corretor. Sozinho, é possível sondar melhor a vizinhança e o prédio. "É bom fazer isso porque assim você conhece melhor o local".

    Cuidados na hora de escolher o imóvel

    Segurança
    Como o estudante vai estar longe da família e, provavelmente, sozinho ou com amigos, é importante verificar se a região é segura. Dê preferência aos prédios com porteiros e alarmes. Eles podem não ser garantia total de sergurança, mas evitam imprevistos. E, sem dúvida, deixam os pais muito mais tranqüilos.

    Localização
    Procure apartamentos próximos ao centro da cidade e dos seus afazeres. Certifique-se de que existem pontos de ônibus perto que garantam acesso fácil a sua faculdade ou escola, supermercados, padarias. Essa dica vale principalmente para quem não tem carro. Você não vai querer perder uma hora para chegar na aula todo dia e muito menos carregar sacolas e mais sacolas de compras a pé.

    Preço
    Não se esqueça de que além do aluguel, você ainda vai arcar com outras despesas como taxas de condomínio, luz, telefone e na maioria das vezes com o IPTU. Certifique-se de que o contrato de locação especifíca de quem são as responsabilidades com relação ao IPTU. E o principal, verifique o valor da taxa de condomínio, ela costuma causar surpresas. Muitos prédios tem um aluguel barato, mas condomínios caros.

    Contratos
    Em 2003, foram registradas 357 reclamações sobre habitação no Procon, e destas 125 dizem respeito a locação. O número é considerado relativamente baixo. Para o diretor do órgão, Nilson Ferreira, e profissionais do ramo imobiliário, isso acontece porque existe um lei específica, Lei do Inquilinato, que regulamenta todo o processo. Mas não custa prestar atenção e ler atentamente o contrato.

    Leia Mais:

  • Cuidados que você precisa ter com o contrato
  • "Lar doce lar" dos estudantes forasteiros
  • "Liberdade antes que tardia" - Para quem sonha em morar sozinho, as histórias e as dicas de quem deixou a casa dos pais

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.