Nem todo cachorro pode ser adestrado

No mercado há mais de 30 anos, adestrador explica que parte psicológica e idade influenciam no treinamento

Lucas Soares
Repórter
23/08/2015

Criar um cachorro para guarda, um cão-guia ou mesmo educar o animal para fazer suas necessidades no local indicado pelo dono não é uma tarefa simples. Requer tempo, dedicação e os resultados não são garantidos, já que nem todos os cachorros podem ser adestrados.

O adestrador Luiz Cesar de Sá, que atua no mercado juiz-forano há mais de 30 anos, explica como funciona o processo. "Eu faço uma avaliação prévia com o animal para saber como é o comportamento do cachorro em casa, se ele destrói objetos, por exemplo, por quinze dias. Vou na casa do cliente três vezes por semana para saber como é a morfologia do cão e a parte psicológica. O dono do cachorro recebe um questionário com 54 perguntas, entre as quais se o animal pula quando chega visita e vai passear, se ele faz buracos no jardim, destrói objetos, se já passou por cirurgia, se está com as vacinas em dia e se toma algum tipo de medicamento. São respostas que vão me ajudar a entender o que está acontecendo e quais as linhas de treinamento que eu vou seguir. Cada raça, cada cão, tem um método diferente, e nem todos estão dentro do perfil definitivo de treinamento. Existem cachorros que são reprovados", explica.

No entanto, em caso de aprovação, o treinamento pode durar de 45 a 120 dias, de acordo com a idade, a raça e o objetivo ao qual o dono busca junto ao animal. "É feito um programa de treinamento para o cachorro, com aulas e conteúdo programático. São aulas de 45 minutos. No nosso canil, são campos diferentes para cães de grande porte e pequeno porte. Os grandes, por exemplo, a maioria prefere brincar com bolinha, enquanto os pequenos, preferem os petiscos. São métodos positivos", afirma.

Os treinamento seguem as normas do estatuto da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), que determina, por exemplo, a idade em que os cães devem ser treinados. "Com menos de seis meses não podem ser treinados e nós respeitamos isso, afinal, é a infância deles. A partir disto, não tem idade. No entanto, para cães mais velhos, eu prefiro treinar o dono. Explicar para ele que como fazer para corrigir os defeitos disciplinares, porque geralmente há muita permissividade nesse caso. Quando um cachorro de oito anos está precisando ser treinado, é porque muita coisa já aconteceu. O treinador não tem como fazer um trabalho de dois meses com um cachorro destes. É um trabalho gradual e demanda um tempo maior. Eu vou na casa do dono, como consultor pet, e explico direitinho o que ele deve fazer. A maneira de falar, de alimentar, de corrigir o cão... Explico como funciona a leitura do cão, como faz para falar com o animal para ele poder obedecer. Existe uma técnica para isso. Eles tem muita possibilidade de aprender", conclui.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.