Rafaela Alves Rafaela Alves 18/08/2014

Dança: técnica e emoção

Rafaela AlvesTécnica e emoção são duas palavras que acompanham o dia a dia de todo bailarino. Por vezes refletimos sobre o que seria mais importante. Para uns, a técnica vem em primeiro lugar, outros afirmam que sem a emoção de nada adianta a técnica. Mas e aí? Como sair desse dilema?

A técnica, sem dúvida alguma, é importante em todas as modalidades de dança. Isso porque cada tipo de dança tem o seu repertório específico, seus passos característicos, o que faz com que o espectador saiba e consiga definir o que está sendo dançado. Mesmo que você dance pelo simples prazer de dançar, ainda assim, deve se preocupar com a técnica para ser fiel ao que se propôs e também para evitar se lesionar, já que determinados tipos de movimentos quando feitos de maneira incorreta podem causar lesões sérias que te impedirão de dançar no futuro. Então, sim, técnica é fundamental do aluno iniciante ao profissional mais experiente. E, para que sua técnica se desenvolva de maneira satisfatória, alguns fatores são de suma importância: a orientação de um profissional que te inspire confiança, a prática, a persistência e a dedicação.

Mas e a emoção? Todos nós, enquanto espectadores, ao assistir um bailarino dançar, queremos algo além da técnica. Queremos sentir algo mágico, especial, que nos faça esquecer do tempo. Queremos ficar enlevados, encantados, apaixonados. E o que faz essa magia acontecer é a expressão facial e corporal de quem dança. A emoção faz tudo parecer fácil, diferente e mais rico. O problema para o bailarino é como fazer surgir essa aura, como transformar o movimento em fonte de emoção. Na minha opinião, a emoção surge quando a técnica deixa de ser sua única preocupação e você se entrega aos seus movimentos de forma genuína, quando você mostra em cada movimento aquilo que sente ao dançar. É essa expressão que encanta: a verdadeira. Não adianta um mix de caras e bocas caricatas. Isso não convence. A emoção tem que vir dos sentimentos daquele momento, daquele movimento, daquela música.

O ideal de aliar técnica e emoção é possível sim. Uma dica é o treino: quanto mais seguro você estiver com a sua técnica, mais se sentirá livre para se entregar às emoções. Outra dica é dançar sempre; em casa, para seus amigos, para sua turma, para sua família, de forma a desenvolver a segurança. Ouvir as dicas e correções do seu professor sobre como você pode melhorar seus movimentos e sua expressão também é muito importante, então dedique-se nas suas aulas, dance sem medo e se permita porque a arte é para todos nós. É só querer!


Rafaela Alves é professora e bailarina de Dança do Ventre e Folclore Árabe desde 2001. Conquistou o padrão de qualidade em dança da renomada Casa de Chá Khan el Khalili/SP em 2013. Proprietária do Studio de Danças Rafaela Alves. Formada em Direito pela UFJF.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.