Rafaela Alves Rafaela Alves 21/11/2014

Expressão na dança

RafaelaFim de ano chegando e com ele as tão aguardadas apresentações de dança. Ensaiamos feito loucos, decoramos passos, sequências e desenhos coreográficos. Ufa!! Tudo pronto né? Não!!! Falta colocar a expressão. E é sobre ela que falaremos na coluna deste mês.

A utilização da expressão de forma correta transforma a dança. Um passo simples, feito com a expressão adequada, ganha um toque de requinte e sofisticação. Ao se expressar, o artista cativa seu público.

Mas como saber qual é a expressão adequada para cada situação? O primeiro passo é se conhecer. A sua expressão adequada para determinado momento da música vai ser influenciada pela sua personalidade. Para isso é necessário abrir-se para um novo mundo de possibilidades. Então, desencane da sua idade, do seu peso e de tudo o que for físico. A arte transcende tudo isso. Liberte-se!

Outro ponto importante é entender o que a música pede naquele momento. Qual é o humor musical. Para isso, é muito importante ouvir e estudar as músicas. Em caso de dúvida, não hesite em pedir ajuda a seu professor.

A expressão pode ser dividida em três partes: 1) corporal 2) Facial 3) Ocular.

A expressão corporal é mais facilmente trabalhada com o relaxamento e a contração dos músculos, a depender do momento da música. Esse tipo de expressão é o mais trabalhado em sala de aula. Isso porque para que nós possamos passar para as outras duas, facial e ocular, nosso corpo tem que estar pronto para responder e concordar. Lembre-se de que somos o retrato vivo do som.

A expressão facial nos permite mostrar diversas personalidades, acompanhando as nuances da música. Através dela, as pessoas percebem mais facilmente o que significa aquele momento da música para o artista. Se é um momento feliz, de introspecção, sério, vibrante, etc.

A expressão ocular também é muito importante. A energia e o prazer em dançar precisam literalmente saltar aos nossos olhos. Então procure cativar o público com um olhar sincero, que mostre a ele o que o seu coração sente naquele momento da música. Isso se chama sinceridade emocional e é de suma importância na nossa comunicação com quem nos assiste. Lembre-se apenas de não olhar o tempo todo para uma mesma pessoa. Nosso olhar deve convidar à participação e não focar em alguém, pois isso pode inibir seu público.

Aliando esses três tipos de expressão e utilizando-as com estudo e consciência, o artista faz ganha mais versatilidade e consegue emocionar e encantar.

Peça ajuda a seu professor para desenvolver e melhorar sua expressão. Existem exercícios, dinâmica e técnicas que nos ajudam muito a vencer nossos obstáculos. Esteja aberto a trabalhar e a se melhorar e você verá a diferença.

Dance, se expresse e seja feliz!


Rafaela Alves é professora e bailarina de Dança do Ventre e Folclore Árabe desde 2001. Conquistou o padrão de qualidade em dança da renomada Casa de Chá Khan el Khalili/SP em 2013. Proprietária do Studio de Danças Rafaela Alves. Formada em Direito pela UFJF.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.