• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Vídeo currículo é a oportunidade inicial para o candidato causar boa impressãoA novidade surgiu com o advento das redes sociais e o crescimento da geração digital, sendo mais uma ferramenta para o segmento de recursos humanos

    Aline Furtado
    Repórter
    11/11/2011
    Notebook

    Embora não muito divulgado entre as empresas de menor porte, o vídeo currículo é adotado por grandes empresas, tanto para a contratação de colaboradores quanto no caso da admissão de trainees. Para o diretor de uma empresa de recursos humanos de Juiz de Fora, Marcus Túlio Cunha dos Santos, a novidade configura-se como mais uma ferramenta para o processo seletivo.

    "Não creio que o vídeo currículo tenha chegado para substituir o processo seletivo tradicional, que engloba entrega de currículo impresso e entrevista. Mas é fato que esta pode ser a primeira oportunidade para o candidato causar boa impressão."

    A novidade surgiu com o advento das redes sociais e o crescimento da geração digital. "Com isso, as ferramentas de recursos humanos acabaram se rendendo a ela." Santos, no entanto, pondera que algumas mudanças já ocorreram, ao longo dos tempos. "O fato de as pessoas poderem enviar currículos por email, por exemplo, tem aspectos positivos e negativos. Embora tenhamos a questão da aceleração nas trocas de informações, o que ocorre é que recebemos muitos currículos não adequados a determinadas vagas abertas. Com isso, acabamos destinando mais tempo à análise curricular e, consequentemente, à seleção."

    Ele explica que o vídeo currículo acaba sendo uma forma de desenvolver um processo seletivo diferenciado, muitas vezes, voltado à chamada geração Y, formada por jovens conectados às novas tecnologias. "Além dos vídeos, várias empresas acabam realizando entrevistas por meio de videoconferência e webcam em redes sociais." Quanto ao vídeo currículo, é importante lembrar, segundo Santos, que não se trata de um currículo lido e gravado em vídeo. "Pode ser uma breve apresentação pessoal ou as respostas a questões repassadas anteriormente pela empresa."

    Apesar da vantagem de ser mais uma ferramenta dos setores de recursos humanos das empresas, o vídeo currículo pode não ser tão vantajoso por ser uma forma de o candidato se preparar com antecedência, o que permite que demonstre um perfil diferente do real. "Nada vai substituir uma boa entrevista situacional, mas o vídeo pode acelerar o processo, já que pode denunciar características que não são bem-vindas no caso de algumas vagas, como é o caso de um candidato à vaga de vendedor que apresenta problemas de dicção ou é demasiadamente introvertido."

    Dicas

    Para quem busca uma vaga no mercado de trabalho, cabe entender que o vídeo currículo é uma forma de expressão. Por isso, é importante ensaiar, entender bem o texto, criando, antes, um roteiro a ser seguido. "Da mesma forma que é preciso planejar a confecção de um currículo tradicional, o vídeo currículo deve ser bem planejado. O candidato deve pensar em contar sobre si, usando formas de despertar, no empregador, o interesse em empregá-lo."

    Para isso, basta falar sobre quem é, a formação, o tempo de atuação e os interesses. Segundo Santos, o ideal é que o vídeo não ultrapasse os três minutos. "Outra coisa importantíssima é encarar a câmera como se ela fosse a empresa." Outra dica é que o perfil da vaga pode indicar se o vídeo deverá ser informal ou apresentar caráter mais despojado.

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.