Segunda-feira, 18 de março de 2013, atualizada às 17h35

Técnico-administrativos da UFJF paralisam atividades nesta terça-feira

Da Redação

ufjf

Está marcada para esta terça-feira, 19 de março, uma paralisação dos técnico-administrativos em educação de todas as instituições federais do país, com duração de 24h. Assim, trabalhadores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) cruzam os braços na data. A partir das 9h, os técnico-administrativos irão se concentrar na frente da reitoria das instituições federais, com o objetivo de fazer vigílias e protestos.

De acordo com o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino no Município de Juiz de Fora (Sintufejuf), Paulo Dimas, ''não irão funcionar biblioteca central, restaurantes universitários (RU), além de não circularem os ônibus que levam os funcionários para a instituição e que transportam estudantes no campus."

Segundo Dimas, o Instituito Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IF-Sudeste) e o Colégio de Aplicação João XXIII não terão suas atividades prejudicadas pela paralisação.

A decisão foi tomada em assembleia geral, realizada na última quinta-feira, dia 14, no anfiteatro da Faculdade de Serviço Social. A proposta foi aprovada na Plenária Nacional da Fasubra Sindical, realizada em Brasília nos dias 9 e 10 de março, com o objetivo  de construir um dia nacional de luta da categoria.

Reivindicações

Entre as reivindicações estão o cumprimento integral do acordo de greve assinado em 2012, tendo em vista que o Governo Federal acenou para o atendimento apenas dos que estão na ativa em dois pontos do acordo: melhoria no incentivo por qualificação, percentual no salário para quem fez cursos formais, como graduação e pós-graduação e no incentivo por capacitação, progressão na carreira para quem fez cursos de, no mínimo, 20 horas.

Os trabalhadores defendem que a paridade deve ser mantida; se os trabalhadores da ativa terão uma revisão nos incentivos, os aposentados que fizeram cursos no período em que estavam em atividade também têm esse direito, já que a lei da carreira determina que as mudanças valem tanto para ativos como para aposentados. ''Este ato é para fazermos uma pressão em cima do governo, já que ele ainda não cumpriu a parte do acordo que é destinada aos aposentados'', afirma o coordenador geral do Sintufejuf.

A resposta do Governo Federal sobre a reivindicação dos técnico-administrativos sai nessa nesta terça-feira, 19. A proposta foi apresentada em documento aos Ministérios do Planejamento e Educação durante o manifesto nacional que aconteceu em Brasília no 7 de março.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.