Lucas Soares Lucas Soares 25/08/2014

Vida pública e privada de um jogador de futebol

Neste final de semana, mais um jogador foi vítima de "torcedores" mal intencionados no futebol. O atacante André, do Atlético-MG, foi fotografado aparentemente bêbado em uma boate, às 7h43 da manhã de domingo, 24, durante sua folga.

Uns, certamente os mais fanáticos, vão dizer que ele não pode fazer isso levando em consideração que é uma pessoa pública. Eu já abordei temas como este quando o André Santos, ex-Flamengo, foi supostamente agredido por torcedores do rubro-negro na saída do Beira Rio. Na ocasião, condenei a atitude de quem agrediu, mas enfatizei que entendo quando acaba a paciência da torcida, diante da falta de compromisso mostrada pelo jogador com o Flamengo.

O caso de André, do Galo, é ainda mais emblemático. Ele não sofreu uma agressão física. Foi agredido moralmente, psicologicamente e exposto ao ridículo para o mundo todo. Acredito que todo trabalhador tem o direito de curtir a sua folga, desde que isso não atrapalhe seu rendimento junto ao empregador. Todo mundo conhece alguém que já ficou bêbado até cair, ou mesmo viveu situação semelhante. É comum e até mesmo considerado normal.

Tomamos como exemplo o baixinho Romário. Nos seus tempos de atleta, curtia as noitadas no Rio de Janeiro e já foi fotografado até mesmo no Privilège, aqui de Juiz de Fora. Mas, na hora de trabalhar, resolvia. André nunca vai ser um Romário. Atualmente é reserva no Atlético-MG, mas quando entra, mostra disposição. Tem fama de boêmio, já foi importante para o time, e não havia motivo para tal exposição, a não ser a mera zuação de torcedores inconsequentes.

No entanto, André precisa ter olhos abertos para o rumo que sua carreira está levando. Apareceu muito bem em 2010, junto com Neymar, mas não deu certo quando foi à Europa. Chegou ao Atlético-MG, não se firmou e foi emprestado à Santos (2012) e Vasco (2013) nesse período. De volta ao Galo, luta pela vaga de Jô no ataque, mas não consegue superar o titular.

André tem apenas 23 anos, é novo, e tem todas as características que podem fazer a voltar a brilhar dentro de campo. Mas, para isso, precisa se cuidar fora dele, não só fisicamente, como também olhar a própria imagem. Há duas semanas, entrevistei o ídolo do Tupi, Ademílson, que me disse que o segredo de jogar até os 39 foi ter sempre se cuidado. Ainda há tempo para o André, mas se demorar, pode ser tarde demais.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 25/08/2014

Vida pública e privada de um jogador de futebol

Neste final de semana, mais um jogador foi vítima de "torcedores" mal intencionados no futebol. O atacante André, do Atlético-MG, foi fotografado aparentemente bêbado em uma boate, às 7h43 da manhã de domingo, 24, durante sua folga.

Uns, certamente os mais fanáticos, vão dizer que ele não pode fazer isso levando em consideração que é uma pessoa pública. Eu já abordei temas como este quando o André Santos, ex-Flamengo, foi supostamente agredido por torcedores do rubro-negro na saída do Beira Rio. Na ocasião, condenei a atitude de quem agrediu, mas enfatizei que entendo quando acaba a paciência da torcida, diante da falta de compromisso mostrada pelo jogador com o Flamengo.

O caso de André, do Galo, é ainda mais emblemático. Ele não sofreu uma agressão física. Foi agredido moralmente, psicologicamente e exposto ao ridículo para o mundo todo. Acredito que todo trabalhador tem o direito de curtir a sua folga, desde que isso não atrapalhe seu rendimento junto ao empregador. Todo mundo conhece alguém que já ficou bêbado até cair, ou mesmo viveu situação semelhante. É comum e até mesmo considerado normal.

Tomamos como exemplo o baixinho Romário. Nos seus tempos de atleta, curtia as noitadas no Rio de Janeiro e já foi fotografado até mesmo no Privilège, aqui de Juiz de Fora. Mas, na hora de trabalhar, resolvia. André nunca vai ser um Romário. Atualmente é reserva no Atlético-MG, mas quando entra, mostra disposição. Tem fama de boêmio, já foi importante para o time, e não havia motivo para tal exposição, a não ser a mera zuação de torcedores inconsequentes.

No entanto, André precisa ter olhos abertos para o rumo que sua carreira está levando. Apareceu muito bem em 2010, junto com Neymar, mas não deu certo quando foi à Europa. Chegou ao Atlético-MG, não se firmou e foi emprestado à Santos (2012) e Vasco (2013) nesse período. De volta ao Galo, luta pela vaga de Jô no ataque, mas não consegue superar o titular.

André tem apenas 23 anos, é novo, e tem todas as características que podem fazer a voltar a brilhar dentro de campo. Mas, para isso, precisa se cuidar fora dele, não só fisicamente, como também olhar a própria imagem. Há duas semanas, entrevistei o ídolo do Tupi, Ademílson, que me disse que o segredo de jogar até os 39 foi ter sempre se cuidado. Ainda há tempo para o André, mas se demorar, pode ser tarde demais.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 25/08/2014

Vida pública e privada de um jogador de futebol

Neste final de semana, mais um jogador foi vítima de "torcedores" mal intencionados no futebol. O atacante André, do Atlético-MG, foi fotografado aparentemente bêbado em uma boate, às 7h43 da manhã de domingo, 24, durante sua folga.

Uns, certamente os mais fanáticos, vão dizer que ele não pode fazer isso levando em consideração que é uma pessoa pública. Eu já abordei temas como este quando o André Santos, ex-Flamengo, foi supostamente agredido por torcedores do rubro-negro na saída do Beira Rio. Na ocasião, condenei a atitude de quem agrediu, mas enfatizei que entendo quando acaba a paciência da torcida, diante da falta de compromisso mostrada pelo jogador com o Flamengo.

O caso de André, do Galo, é ainda mais emblemático. Ele não sofreu uma agressão física. Foi agredido moralmente, psicologicamente e exposto ao ridículo para o mundo todo. Acredito que todo trabalhador tem o direito de curtir a sua folga, desde que isso não atrapalhe seu rendimento junto ao empregador. Todo mundo conhece alguém que já ficou bêbado até cair, ou mesmo viveu situação semelhante. É comum e até mesmo considerado normal.

Tomamos como exemplo o baixinho Romário. Nos seus tempos de atleta, curtia as noitadas no Rio de Janeiro e já foi fotografado até mesmo no Privilège, aqui de Juiz de Fora. Mas, na hora de trabalhar, resolvia. André nunca vai ser um Romário. Atualmente é reserva no Atlético-MG, mas quando entra, mostra disposição. Tem fama de boêmio, já foi importante para o time, e não havia motivo para tal exposição, a não ser a mera zuação de torcedores inconsequentes.

No entanto, André precisa ter olhos abertos para o rumo que sua carreira está levando. Apareceu muito bem em 2010, junto com Neymar, mas não deu certo quando foi à Europa. Chegou ao Atlético-MG, não se firmou e foi emprestado à Santos (2012) e Vasco (2013) nesse período. De volta ao Galo, luta pela vaga de Jô no ataque, mas não consegue superar o titular.

André tem apenas 23 anos, é novo, e tem todas as características que podem fazer a voltar a brilhar dentro de campo. Mas, para isso, precisa se cuidar fora dele, não só fisicamente, como também olhar a própria imagem. Há duas semanas, entrevistei o ídolo do Tupi, Ademílson, que me disse que o segredo de jogar até os 39 foi ter sempre se cuidado. Ainda há tempo para o André, mas se demorar, pode ser tarde demais.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.