Quinta-feira, 16 de dezembro de 2010, atualizada às 14h32

Novembro é o mês recorde na criação de empregos em Juiz de Fora

Clecius Campos
Repórter
Foto de carteiras de trabalho

O mês de novembro em Juiz de Fora teve o maior saldo entre admissões formais e desligamentos, durante o ano de 2010. No décimo primeiro mês do ano, foram gerados 1.391 novos empregos, 380 a mais que o recorde anterior, ocorrido em agosto. O número de vagas criadas é duas vezes maior que o saldo obtido em outubro. O índice de crescimento, em novembro, foi de 1,13%.

Os dados são do Estudo de Evolução do Emprego, realizado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Como esperado, o comércio foi o setor que gerou mais vagas em novembro. O saldo entre contratações e demissões foi de 682. O número é 4,5 vezes maior que o observado em outubro, quando o setor criou 154 vagas. Para o superintendente do Sindicato do Comércio de Juiz de Fora (Sindicomércio), Sérgio Costa de Paula, a alavancada é tradicional e reflete as contratações para o fim de ano. "Há empresas que contratam em cima da hora, mas muitas resolvem antecipar, para que o funcionário possa se adaptar. Este é o melhor período para o comércio. Esperamos um dezembro com ainda mais empregos."

O setor de serviços foi o segundo melhor no mês, criando 570 postos de trabalho. A construção civil e a indústria da transformação também geraram vagas formais, mas com menos expressão: 78 e 69 postos, respectivamente. De janeiro a novembro, o ramo de serviços acumula saldo de 2.877 empregos criados. O setor é seguido pela indústria da transformação, com 1.273 novos empregos, e pela construção civil, com 1.142. O comércio fica em quarto lugar, tendo gerado 1.038 postos de trabalho nos onze primeiros meses do ano.

JF supera Minas e Brasil em crescimento em novembro

A porcentagem da variação do emprego em Juiz de Fora supera, com expressão, o aumento percentual de vagas ocorrido em Minas Gerais e no Brasil, em novembro. Enquanto a cidade teve acréscimo de 1,13% do total de vagas existentes, Minas Gerais cresceu apenas 0,32%, 3,5 vezes menos que Juiz de Fora. O Estado gerou 12.093. O Brasil ganhou mais 138.247, o que representa variação de 0,39%. O percentual é quase três vezes menor que o aumento registrado em Juiz de Fora.

De janeiro a novembro, o quadro é outro. Nesse período, Juiz de Fora cresceu 5,35% em empregos formais, enquanto o crescimento em Minas Gerais foi de 8,86%. O número de vagas no Brasil subiu 7,71% durante os onze primeiros meses de 2010.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.