Quinta-feira, 16 de agosto de 2012, atualizada às 17h10

Julho é o segundo maior gerador de empregos formais em Juiz de Fora

Jorge Júnior
Subeditor
carteira_trabalho

O mês de julho foi o segundo que mais gerou empregos no ano de 2012 em Juiz de Fora, fechando com um saldo de 553 postos formais no município. A variação de emprego foi de 0,42%, de acordo com os dados do Estudo de Evolução do Emprego, realizado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho (MTE), divulgados nesta quinta-feira, 16 de agosto. No período, 6.491 profissionais foram admitidos e 5.938 demitidos.

O mês só perdeu para abril, que foi o que mais empregos formais em 2012, com 1.235 novos postos, ou seja 682 postos de trabalho a mais do que julho. Maio teve um saldo de empregos de 269; seguido de janeiro, com 265 empregos; e fevereiro, com 99 postos de trabalho.

Em comparação a julho de 2011, Juiz de Fora criou 224 empregos a mais, quando, no mesmo período, foram gerados 329 postos de trabalho, com variação de 0,26% em relação ao número total de carteiras assinadas, fechando o período com uma elevação no número de carteiras assinadas de 40%.

O setor que mais criou oportunidades de trabalho foi o de serviços, gerando 290 empregos. O número de admissões foi de 2.990, contra 2.700 desligamentos. A variação de empregos na área foi de 0,41%. Em 12 meses, o setor foi responsável pela contratação de 7.320 pessoas.

A construção civil ficou em segundo lugar no Caged. O saldo entre o número de admitidos e demitidos foi de 199. No mês, 825 trabalhadores foram admitidos e 626 demitidos. A variação foi de 2,05%. O terceiro segmento que mais contratou foi a indústria de transformação, gerando 91 postos de trabalho. O número de admitidos foi de 986. Já o de demitidos fechou o mês com 895. A variação foi de 0,45%.

Aquecimento no emprego formal

Para o chefe do setor de relações do trabalho da Gerência Regional do Trabalho e Emprego, José Tadeu de Medeiros Lima, a cidade está com um saldo muito bom na geração de empregos. "Estamos vivenciando um aquecimento na oferta de empregos na região. O destaque é para o setor de serviços, que é um grande percursor na geração de postos de trabalho para a cidade."

De acordo com Lima, a área engloba empregos nas instituições de crédito, seguros e capitalização; transporte e comunicação; serviços médicos, veterinários e odontológicos; administração de imóveis, valores imobiliários, comunicação e serviços técnicos, além de serviços de alojamentos, reparação, alimentação e ensino. "A cidade tem muitas escolas, faculdades e clínicas, o que acaba movimentando o setor." Segundo o perfil de Juiz de Fora, no MT, a cidade tem 14.974 estabelecimentos nessa área. Ainda segundo o MT, o número formal de empregos no primeiro semestre de 2012, foi de 68.019.

Fomentação

No entanto, o setor do comércio fechou com um saldo negativo de -21. O número de admitidos foi de 1.632, contra 1.653 demissões. Para Lima, uma das preocupações da cidade é o setor da agropecuária, que ficou com um saldo negativo de -7. Com um número de admissões de 37, contra 44 desligamento. "Historicamente o setor está ficando com um saldo negativo. A área precisa de mais atenção, visando a fomentação dessa atividade na região. Essa baixa pode estar acarretando um êxodo da população que estava na área rural e deslocou-se para os centros urbanos. Os departamentos agropecuários têm que realizar projetos e programar para estimular o setor."

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.