• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Risco de doenças infectocontagiosas aumenta devido às enchentesDoenças como a leptospirose, hepatite A, diarreia e dengue são as mais comuns. Principal medida para impedir o contágio é evitar o contato com água ou lama

    Jorge Júnior
    Repórter
    5/1/2012
    chuvas

    Com as fortes chuvas que estão caindo nas cidades mineiras nesta época do ano, aumenta-se o risco de doenças infectocontagiosas, devido às enchentes. Segundo o médico infectologista Guilherme Côrtes Fernandes, o contato com a água e a ingestão de alimentos contaminados por animais transmissores, como os ratos, ou por vírus e bactérias, pode gerar doenças como a leptospirose, hepatite A, diarreia e dengue. "A doença mais preocupante é a leptospirose, que é causada por uma bactéria encontrada na urina do rato e que pode entrar pela pele humana", destaca.

    Já a hepatite A, é transmitida pela água misturada com esgoto humano. A diarreia aguda, é causada por bactérias, vírus e parasitas, além da febre tifoide, causada pela Salmonella typhi, uma bactéria encontrada nas fezes de animais. O médico alerta para que a população das cidades atingidas pelas chuvas tomem cuidado com a água da cidade. "As autoridades têm que assegurar que o fornecimento de água foi preservado. Além da água que é oferecida para todos os cidadãos, aquelas famílias que armazenam água no poço, também devem ficar em alerta", diz.

    Além disso, um outro risco para os municípios é a proliferação do mosquito da dengue. "Quando passam as inundações, pode aumentar o número de pessoas infectadas pela dengue. Outras preocupações são com os ferimentos e machucados, que também podem ser infectados", afirma.

    Prevenção

    Fernandes salienta que a principal medida para impedir o contágio dessas doenças é evitar o contato com água ou lama de enchentes e impedir que as crianças brinquem nessas inundações. Porém, caso isto seja inevitável, é recomendável permanecer o menor tempo possível na água ou na lama. "Os indivíduos devem sair da água. Se o cidadão está dentro de casa e percebe que a casa está inundada, ele tem que sair imediatamente e não se preocupar com os materiais que vai perder", explica.

    Ainda segundo o especialista, a atenção não deve ser redobrada somente quando a casa está sendo tomada pela água, mas no retorno à residência. "Quando o morador volta para a casa para limpá-la ou tentar recuperar algum objeto, ele deve se precaver, utilizando botas e luvas impermeáveis, evitando assim, o contato com a lama", explica.

    De acordo com a bióloga do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Prefeitura, Marta Juciara, após o recuo da água, os moradores devem deixar as casas abertas, para que não cause nenhum problema respiratório. Já o médico orienta que, em todos os casos, as pessoas devem procurar um especialista, imediatamente, uma vez que no país ainda não existe vacina para a leptospirose.

    Beber somente água potável

    As vítimas das enchentes também devem procurar beber sempre água potável, que não tenha tido contato algum com as enchentes, conforme orientação do infectologista. Segundo a bióloga, as vítimas de inundações devem procurar fazer o próprio tratamento dentro de casa, principalmente se tiverem crianças ou idosos, que tem um sistema imunológico mais fragilizado.

    "Para garantir que a água é segura para consumo, o aconselhável é fervê-la por, ao menos, um minuto ou adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio, com concentração de 2,5% [água sanitária] para cada litro de água. Após isso, a mistura deve descansar por meia hora, para matar as bactérias", explica. Essa água serve para beber e também para a lavagem dos alimentos.

    Além do consumo, a limpeza dos utensílios domésticos, os móveis, paredes e os pisos da casa afetadas, também podem ser feitas com a mistura. "Para quatro litros de água, coloque um litro de água sanitária e limpe os objetos com um pano úmido." Marta alerta: "as pessoas devem ter um controle rigoroso com as proporções, para não ingerir mais do que o devido." Segundo ela, cerca de 90% das águas de má qualidade causam diarreia.

    Confira a tabela do Ministério da Saúde, com as proporções para cada litro de água

    Sintomas

    Segundo Fernandes, os sintomas das doenças são parecidos. Dengue e leptospirose causam dores no corpo, na cabeça e febre. A hepatite A causa febre, mal-estar e olhos amarelados.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.