Privatização do Hospital Universitário é debatida durante assembleia

Uma comissão será formada para organizar um plebiscito em 15 dias. Após a reunião, a categoria realizou um ato público

Lorranna Medeiros
*Colaboração
3/10/2012
HU

Uma assembleia realizada na manhã desta quarta-feira, 3 de outubro, no Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), reuniu os técnico-administrativos da instituição para discutirem a situação da unidade, em virtude da criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Segundo a assessoria de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino no Município de Juiz de Fora (Sintufejuf), o ato público é necessário para mostrar à comunidade que o HU passa por problemas financeiros. Apesar das verbas recebidas para a expansão e reestruturação do HU, destinadas à compra de equipamentos e construção de prédios novos, o Ministério da Educação não está repassando as verbas para as atividades básicas da assistência. De acordo com informações da direção do HU, a unidade está redefinindo alguns pagamentos para poder adquirir medicamentos e materiais médicos e não causar prejuízos aos pacientes e às atividades de ensino."

O Sintufejuf destaca também que a categoria corre riscos, pois o governo está fazendo pressão para que todos aceitem a privatização. "Por isso decidimos criar o plebiscito. Uma comissão está sendo organizada para lutar contra a privatização."

Com a criação dessa comissão, dentro de 15 dias serão organizadas reuniões, atos e a conscientização de todos que têm um vínculo com o HU. "Nós formamos a comissão que terá dois membros discentes e dois membros docentes. Todos os alunos envolvidos, funcionários e professores devem participar dessa votação, que será levada aos superiores", explica o coordenador da nova comissão, José Fanias Lima.

Reunião no HU Reunião no HU

Ato público e novos passos

Após a reunião, os técnico-administrativos distribuíram panfletos e colocaram cartazes em frente ao hospital, para tornar público as ideias da categoria. Segundo a assessoria, é necessário que todos lutem contra a privatização e pela distribuição correta das verbas. "Deve-se buscar uniformizar as propostas. Além disso, queremos que os debates sirvam para instruir a todos sobre o que está acontecendo." Uma outra reunião foi marcada para esta quinta-feira, 4 de outubro, no HU do bairro Santa Catarina, às 9h.

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.